Clipping

Crise de postos de gasolina afeta produtores de etanol no Brasil

Postado em 24 de Julho de 2020

A queda das vendas de combustíveis que afeta postos de gasolina também atinge produtores de etanol no Brasil.

Postos em grandes cidades evitaram subir os preços da gasolina para manter as vendas, mesmo com o aumento dos custos das refinarias. Desde abril, o custo no atacado aumentou 59%, enquanto os preços nas bombas caíram 4% no estado de São Paulo, segundo dados da Petrobras e da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Com isso, a gasolina tem se apresentado mais atrativa aos motoristas do que o etanol. Isso tem adiado a recuperação das vendas do biocombustível, disse Tarcilo Rodrigues, diretor da trading de etanol Bioagência.

As vendas de etanol abaixo do esperado neste ano podem elevar os estoques de biocombustíveis, já acima dos níveis do ano passado. Além disso, mesmo com as usinas tendo desviado o máximo possível de caldo da cana para produzir açúcar, a produção de etanol está acima das expectativas, pois o tempo seco melhorou o teor de açúcar na cana, disse Rodrigues.

Em maio, as vendas de gasolina caíram 20%, enquanto para o etanol a baixa foi de 30% em relação ao ano anterior, segundo estatísticas da Bioagência com base em dados da ANP. Em junho, a situação pode não ter mudado muito, afirmou Rodrigues. “Podemos ver uma virada a partir de agosto, quando os preços mais altos da gasolina podem se refletir nas bombas”, disse.

No entanto, distribuidores são mais pessimistas quanto ao momento da recuperação. Muitos proprietários de postos de gasolina estão fechando ou vendendo o negócio a concorrentes por problemas financeiros. A pandemia de coronavírus reduziu a circulação de veículos e, portanto, demanda por combustível.

“Até agora, a recuperação foi mais lenta do que o esperado”, disse Paulo Miranda Soares, presidente da associação que representa postos de gasolina do Brasil.

Ele diz não acreditar que os postos vão repassar o aumento da gasolina no curto prazo com receio de perder mais vendas.

“Recebemos relatórios dizendo que a recuperação total das vendas de combustíveis poderia ocorrer em novembro. Mas sou um pouco pessimista sobre isso. A propagação do vírus ainda não atingiu o pico no Brasil”, disse em entrevista por telefone.

 


Fonte: Bloomberg