Clipping

CTBE | CNPEM apresentam panorama da safra dos estados de São Paulo e Goiás no mês de dezembro

Postado em 16 de Janeiro de 2019

A expectativa nos dois estados maiores produtores de cana do Brasil é que a próxima safra apresente melhora em relação à safra passada

Em comparação com o trimestre anterior, no mês de dezembro foi verificada uma estiagem nos estados de São Paulo e Goiás. De modo geral, as chuvas foram abaixo da média histórica para as mesorregiões produtoras de cana, fato que levou a expressiva presença de regiões com déficit de água no estado de São Paulo. No entanto,apesar das chuvas abaixo da média, o vigor vegetativo nos canaviais apresentou valores muito próximos ou acima da média histórica para a maioria das regiões produtoras, o que indicou uma tendência dosíndices médio de produtividade. De modo geral, espera-se para a próxima safra uma melhora em relação à safra passada.

Em São Paulo, a precipitação média do estado foi 40% inferior à média histórica para o mês de dezembro. Essa queda prejudicou o balanço climatológico, principalmente mais ao norte do estado onde foi possível observar déficit hídrico de até 44 milímetros. No entanto, ainda há algumas regiões com balanço positivo a leste do estado, chegando a atingir excedente de 37 milímetros.

No estado de São Paulo, no último mês de 2018, todas as mesorregiões tiveram precipitação abaixo da média histórica. Porém, isso não prejudicou o vigor vegetativo da cana-de-açúcar (representado pelo NDVI) devido ao grande volume de precipitação ocorrido no mês de novembro. O NDVI das messoregiões se mantiveram próximo a média histórica e em algumas regiões acima da média (Assis, Campinas, Itapetininga, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto). A única exceção foi a Macro Metropolitana Paulista, que teve o valor de NDVI abaixo da média histórica. As cores verde, amarelo e vermelho representam as cores do semáforo relativas ao nível de NDVI de cada região nos meses analisados.

No mês de dezembro, com uma precipitação média de 198 milímetros, levemente abaixo (18%) da precipitação média histórica para o mês, o balanço climatológico de Goiás ainda permanece positivo devido ao grande volume de chuvas do mês anterior. O excedente hídrico na região azul do mapa chega a atingir 62 milímetros, e mesmo ainda havendo regiões com déficits, os mesmos não chegam a ultrapassar 5 milímetros.

No último mês de 2018 o estado de Goiás foi caracterizado por chuvas abaixo da média histórica, com exceção da microrregião de Goiânia que teve precipitação acima da média. Apesar das chuvas abaixo da média, no mês de dezembro, todas as microrregiões mantiveram o vigor vegetativo da cana-de-açúcar (representado pelo NDVI) acima da média. Isso ocorreu devido ao grande volume de precipitação que tem ocorrido no estado desde o mês de setembro. Apenas a microrregião de Goiânia obteve valores de NDVI próximo a média histórica. As cores verde, amarelo e vermelho representam as cores do semáforo relativas ao nível de NDVI de cada região nos meses analisados.

 

 

 


Fonte: O Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM)