Clipping

Decreto que reduzia valor do etanol expira, governo não renova, e preços sobem nos postos

Postado em 1 de Fevereiro de 2019

No dia 31 de dezembro de 2018, expirou um decreto adotado, em 2004, pela então governadora do Rio, Rosinha Garotinha, que reduzia o ICMS do etanol de 32% para 24%. Após 31 dias de governo, a administração de Wilson Witzel ainda estuda o tema. Como de creto ainda não foi reeditado, o imposto maior sobre o combustível já se reflete em preços maiores nos postos, pesando no bolso dos motoristas.

Segundo um levantamento feito semanal feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o etanol na cidade do Rio custava, em média, R$ 3,413 na semana do dia 30 de dezembro, enquanto o imposto menor ainda era válido. Já na semana do dia 20 de janeiro (dado mais recente disponível), o valor passara para R$ 3,796, uma alta de 11,2%.

A média dos preços cobrados nos postos do estado teve alta de 8,7%, indo de R$ 3,401 para R$ 3,700, entre a última semana de dezembro e a de 20 de janeiro.

Na Região Metropolitana do Rio, a situação não foi diferente. Em Niterói, o valor do litro do combustível passou de R$ 3,454, na última semana de dezembro, para R$ 3,708, entre os dias 20 e 26 de janeiro. No município vizinho de São Gonçalo, o preço médio foi de R$ 3,318 para R$ 3,60, no mesmo período.

Em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, o etanol subiu de R$ 3,242 para R$ 3,562, entre a última semana de 2018 e a do dia 20 de janeiro. Em Duque de Caxias, o preço do combustível avançou de R$ 3,325 para R$ 3,576 no mesmo intervalo.

Segundo a Secretaria estadual de Fazenda, “o tema ainda está em discussão” na pasta.

 

 

 


Fonte: Extra Online