Clipping

Defensor dos biocombustíveis brasileiro morre em NY em decorrência do coronavírus

Postado em 23 de Março de 2020

Um dos maiores incentivadores do etanol brasileiro, o engenheiro químico Sérgio Campos Trindade, de 79 anos, teve a morte confirmada nesta semana, no Hospital White Plains, em Nova York, nos Estados Unidos, em decorrência do novo coronavírus. Trindade foi secretário geral Adjunto de Ciência e Tecnologia da ONU, apoiador do setor de bioenergia e presença assídua em eventos ligados ao setor de cana-de-açúcar no Brasil

De acordo com familiares, havia a suspeita de que ele havia se infectado com Covid-19 em uma recente viagem ao México, onde participou de uma conferência. Ele não apresentava nenhuma complicação de saúde anterior e a doença teria evoluído de forma muito rápida, sendo impossível reverter o quadro de insuficiência respiratória aguda.

O presidente executivo da União Nacional de Bioenergia (Udop), de Araçatuba (SP), Antônio Cesar Salibe, lamentou a morte de Trindade, que já participou como palestrantes de pelo menos três eventos da entidade em defesa do etanol. “Uma lamentável perda para todos nós. O professor Sérgio era um invencível incentivador das energias renováveis”, disse Salibe. “Há cerca de um mês discutimos, juntos uma parceria para a realização de eventos voltados para o setor sucroenergético”.

Em 2009, Sérgio Trindade foi homenageado, pela Udop, com o troféu CanaSauro, uma honraria concedida aos profissionais que atuavam há mais de 30 anos no desenvolvimento do setor sucroenergético brasileiro, incluindo os idealizadores do ProAlcool.

O engenheiro químico Sérgio Trindade era co-ganhador do Prêmio Nobel da Paz, por ter feito parte do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) em 2007, foi um dos realizadores do Simpósio Internacional de Álcool Combustível (ISAF) e era presidente da SE2T International, consultoria voltada para negócios sustentáveis.


Fonte: Globo Rural