Clipping

Demanda fraca e produção recorde limitam alta nos preços do açúcar

Postado em 22 de Julho de 2020

Nessa terça-feira (21), os contratos do açúcar bruto, comercializados na ICE Futures, em Nova York, recuaram majoritariamente. Os lotes para outubro/21 foram firmados em 11.67 centavos de dólar por libra-peso, queda de 5 pontos. Os contratos para março/21 também caíram 5 pontos e foram fixados em 12.38 cents/lb. Os demais lotes oscilaram entre queda de 1 a 3 pontos e estabilidade, quando comparados aos valores da véspera.

De acordo com a Reuters, "operadores disseram que a demanda fraca e a produção recorde de açúcar do Brasil continuam limitando qualquer avanço nos preços".

Já em Londres, o açúcar branco com vencimento para outubro/20 subiu 4,80 dólares e terminaram o dia em US$ 355,30 a tonelada. Os lotes para dezembro/20 foram fixados em US$ 350,90 a tonelada, alta de 2,90 dólar. Os demais lotes valorizaram entre 80 cents e 1,80 dólar.

Mercado interno

Após duas quedas consecutivas, em São Paulo, a saca de 50 kg de açúcar cristal voltou a valorizar e fechou nessa terça-feira em R$ 77,20, pelo indicador Cepea/Esalq, da USP, alta de 0,21% quando comparada com o valor da véspera.

Etanol

O indicador diário do etanol hidratado, medido pela Esalq/BM&FBovespa, posto Paulínia, fechou ontem em R$ 1.669,50 o metro cúbico, alta de 0,59% quando comparado ao valor da véspera. Esta é a 6ª alta consecutiva do indicador.

Por Rafaela Giomo


Fonte: Agência Udop de Notícias