Clipping

Demanda por etanol cresceu em Minas

Postado em 2 de Outubro de 2019

As vendas dos combustíveis derivados de petróleo realizadas pelas distribuidoras em Minas Gerais diminuíram 0,7% em agosto deste ano comparado ao mesmo período de 2018, passando de 1,340 milhão de metros cúbicos para 1,330 milhão de metros cúbicos. Os dados foram divulgados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Apesar da redução, no acumulado do ano houve incremento de 3,6%, de acordo com as informações da ANP.

Ainda na comparação de agosto deste ano com igual mês do ano passado, somente as vendas de etanol hidratado no Estado apresentaram crescimento. O aumento foi de 10,5%, passando de 243.840 metros cúbicos para 269.578 de metros cúbicos.

A maior queda nas vendas veio do óleo combustível. A redução em agosto deste ano, quando foram comercializados 9.239 metros cúbicos, em relação a agosto de 2018, quando as vendas chegaram a 19.270, foi de 52%.

Em seguida, vem a redução de 32,6% nas vendas de gasolina de aviação. Enquanto em agosto de 2018 as vendas foram de 426 metros cúbicos, em 2019 caíram para 287 metros cúbicos. O querosene de aviação teve redução de 5%, passando de 25.195 para 23.928.

Já o querosene iluminante apresentou queda de 23%, passando de 195 metros cúbicos para 150 metros cúbicos.

A redução das vendas de GLP foi de 6%, caindo de 123.377 metros cúbicos para 115.944 metros cúbicos.

A queda nas vendas da gasolina C foi de 3,5%. Em agosto do ano passado, foram comercializados 287.405 de metros cúbicos, enquanto no mesmo período de 2019 foram 277.183 de metros cúbicos.

A menor redução nas vendas foi verificada no óleo diesel, que apresentou queda de 0,9%, passando de 640.401 de metros cúbicos para 634.607 de metros cúbicos.

No acumulado do ano até agosto, o etanol hidratado liderou o crescimento nas vendas na comparação com o mesmo período de 2018. Em Minas Gerais, o incremento foi de 41,3%, passando de 1.440.231 de metros cúbicos para 2.034.488 de metros cúbicos.

Com um crescimento bem mais modesto, em seguida veio o óleo diesel, com incremento de 1,9%. Enquanto no acumulado do ano até agosto em 2019 foram comercializados 4.583.544 de metros cúbicos, no mesmo período de 2018 foram 4.498.86.

O crescimento do querosene de aviação foi ainda menor, de 0,2%, passando de 199.044 de metros cúbicos para 199.534 de metros cúbicos. A gasolina de aviação teve queda de 13,9%, de 3.066 para 2.641.

A maior queda nas vendas, por sua vez, foi verificada no óleo combustível, que apresentou decréscimo de 23,9%. No acumulado deste ano até agosto foram vendidos 79.088 de metros cúbicos, enquanto no mesmo período do ano passado foram comercializados 103.887 de metros cúbicos.

A maior redução depois do óleo diesel foi apresentada pelo querosene iluminante, sendo de 17,7%. Os números caíram de 1.444 metros cúbicos para 1.188 metros cúbicos.

Já a gasolina C apresentou redução de 11,4%. No acumulado do ano até agosto foram comercializados 2.188.430 de metros cúbicos, enquanto no mesmo período de 2018 foram registrados 2.469.757 de metros cúbicos.

Por fim, o GLP teve queda de 2,5%, passando de 895.236 para 873.157.

 


Fonte: Diário do Comércio