Clipping

Demanda por etanol de milho no Paraguai cai em mais de 78% após paralisação do Coronavírus

Postado em 16 de Abril de 2020

Setor busca alternativas de mercado como a exportação de etanol industrial para o Chile e México

Assim como já acontece nos Estados Unidos e ameaça acontecer no Brasil, o setor de etanol de milho no Paraguai vem sofrendo os impactos da crise do Coronavírus. A demanda e, consequentemente, a produção do biocombustível foram reduzidas no país vizinho.

Segundo o gerente de vendas da Inpasa do Paraguai, Jefferson Jean Santi, uma das plantas da empresa foi totalmente paralisada, já que a demanda interna de etanol, que é de 700 mil litros por dia, foi reduzida para 150 mil litros, uma queda maior do que 78%.

Santi destaca que a desvalorização do real ante com dólar já estava impactando o setor, que exporta boa parte da produção para o Brasil, seja no milho ou no etanol (destinado ao Nordeste), e agora as paralizações no país devido a epidemia do Coronavírus provocaram uma queda violenta na demanda interna.

Neste momento, o governo paraguaio visa adquirir novos equipamentos de proteção para os profissionais da saúde que seguem trabalhando, assim como o agronegócio, industrias e serviços essenciais. A expectativa é de que possa haver uma flexibilização da situação para retomar as atividades comerciais restantes.

Enquanto isso, a segunda safra de milho segue se desenvolvendo nos campos e enfrentando dificuldades após atraso no plantio, principalmente na parte norte do país, e estiagem de até 45 dias em algumas regiões. Santi conta que a metade centro sul do Paraguai ampliou bastante sua área cultivada nesta safra e deve ajudar a compensar as perdas do norte, deixando a queda na produtividade nacional em torno de 20%.


Fonte: Notícias Agrícolas