Clipping

Demanda por milho 19/20 em MT cresceu com usinas de etanol e deve subir mais 17,96% no ciclo 20/21, diz Imea

Postado em 16 de Dezembro de 2020

O Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária) divulgou relatório apontando que os pesquisadores revisaram as estimativas de oferta e demanda de milho no Mato Grosso para a safra 2019/20 e atualizou os números esperados para o ciclo 2020/21.

Para a safra passada, a produção foi mantida em 35,45 milhões de toneladas e a demanda interna foi estimada em 10,44 milhões de toneladas com “destaque para o crescimento das usinas produtoras de biocombustível à base de milho, que tiveram uma maior participação no consumo do cereal dentro do estado”.

Já na safra 2020/21, a estimativa segue sendo de ampliação das áreas cultivadas na segunda safra, apesar das incertezas quanto a janela de plantio. Assim, a produção é estimada em 36,29 milhões de toneladas, aumento de 2,38%. A demanda interna também deverá crescer 17,96%, estimulada pelo aumento de esmagamento de milho e avanço do consumo de ração animal.

O Imea também revisou sua projeção de curva de semeadura para a próxima safrinha de milho no estado. De acordo com a projeção, é estimado que 14,11% das lavouras fiquem fora da janela considerada ideal para o milho. Nas safras anteriores, 19/20 e 18/19, os atrasos eram de 8,04% e 4,15%, respectivamente.

“Tal cenário poderá acarretar em produtividades menores para a próxima temporada, uma vez que a semeadura mais antecipada na série histórica refletiu nos maiores rendimentos já registrados. Assim, as indefinições quanto ao clima ditam o ritmo no campo, e os produtores devem se atentar para o período de colheita da soja, pois o avanço favorável nesta etapa poderá refletir uma boa semeadura e um desenvolvimento com maior potencial produtivo para o milho”, diz o relatório.

Confira o relatório completo no site do Imea.

Por Guilherme Dorigatti


Fonte: Notícias Agrícolas