Clipping

Diana Bioenergia alcança recorde de moagem de cana em julho

A Diana Bioenergia, localizada em Avanhandava/SP vem quebrando recordes na temporada 2017/18. No mês de julho, a usina moeu 220 mil toneladas de cana-de-açúcar, produziu 16.500 toneladas de açúcar VHP e 6.000 metros cúbicos de etanol total.

Na safra 2017/18, a administração da usina planejou a moagem de 1.65 milhão de toneladas de cana, o que indica aproximadamente 7 mil toneladas por dia, entre o período de 1º de abril a 31 de março de 2018. A produção de açúcar estipulada é de 110 mil toneladas e 53 mil metros cúbicos de etanol total. 

"Se executada essas metas do Plano de Safra, pretendemos alcançar uma receita bruta acima de R$ 240 milhões, um EBITDA ajustado de R$ 97,5 milhões e uma dívida líquida de R$ 96,5 mi", afirmou o CEO Ricardo Junqueira em comunicado divulgado hoje (1º).

Até o momento, desde o início da temporada em 1º de abril, a produção da indústria já ultrapassou a quantidade de processamento de cana e fabricação de açúcar e etanol. Foram moídas 715.000 toneladas de cana, produzidas 46.500 toneladas de açúcar VHP e um volume de 20.000 metros cúbicos de etanol.


Metas

Para os próximos anos, a Diana Bioenergia tem o objetivo de moer entre 2.250.000 à 2.500.000 toneladas de cana-de-açúcar. Com isso, a intenção é produzir um mínimo de 120.000 toneladas de açúcar VHP e 90 milhões de litros de etanol, entre anidro e hidratado. A previsão é que isso ocorra até a safra de 2022.

Em condições climáticas favoráveis, o ano/safra da usina deverá ter um período de 240 dias, iniciando normalmente em abril e encerrando no final do mês de novembro.

"A Usina Diana tem como meta crescer organicamente, respeitando a sua liquidez de caixa, seu limite de endividamento e seus compromissos de missão, visão e valores", frisou Ricardo Junqueira.
Por Camila Lemos


Fonte: Agência Udop de Notícias