Clipping

Disparada do valor do dólar e aumento de consumo contribuem para aumento no preço do etanol

Postado em 29 de Maio de 2020

Em Ribeirão Preto, o preço do litro do etanol chega a R$ 2,59, a semana passada variava entre R$ 1,99 e R$ 2,07

Os primeiros meses de 2020 estão sendo sofríveis para as unidades sucroenergéticas, principalmente para aquelas que só produzem etanol. Tudo começou com a queda drástica do preço do petróleo no mercado internacional, o combustível fóssil, pela primeira vez na história, registrou valor negativo, menos de zero dólar o barril. Reduzindo a competitividade do etanol em relação a gasolina.

O cenário para as produtoras do combustível verde ficou ainda pior com a pandemia do novo Coronavírus e o isolamento social, que derrubou o consumo de combustível em 55%. Com a queda nas vendas de etanol e gasolina, diminuíram as vendas e o valor, tanto do etanol anidro (que é adicionado à gasolina), como o do hidratado. O que levou unidades sucroenergéticas a atrasarem o início da safra.

Mas o cenário começa a mudar: o barril do petróleo começa a beirar a casa dos 30 dólares (ainda considerado baixo, mas melhor do que zero); e a expectativa é de aumento, pois a Arábia Saudita anunciou que vai reduzir sua produção, além disso, com a redução do isolamento social no mundo, volta a crescer o consumo de petróleo. E a disparada do dólar americano deixa mais caro importar petróleo.

No Brasil, a soma desses fatores, mais o início da retomada da demanda, já repercute em aumento do preço do etanol. Por exemplo, em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, o valor do álcool na semana passada, que variava entre R$ 1,99 e R$ 2,07, saltou para R$ 2,53 na maioria dos postos ainda no início da manhã. Em alguns lugares, o preço chega a R$ 2,59.  

Diesel e gasolina também sofreram ajustes na bomba. O primeiro pode ser encontrado na cidade por até R$ 3,79 e o segundo a R$ 3,49.  

 Estima-se que o consumo de combustíveis em Ribeirão caiu aproximadamente 55% no começo da pandemia do novo coronavírus Atualmente, a taxa é de 40%, mas as perspectivas são de melhoras, pois, a partir de 1º de junho aumenta flexibilidade de aberta do comércio.


Fonte: CanaOnline