Clipping

Disputa entre Atvos e Lone Star cria clima de guerra em assembleia de credores

Postado em 7 de Maio de 2020

A assembleia de credores da Atvos marcada para sexta-feira (8), deve ganhar contornos de “guerra”. A Odebrecht, controladora da empresa de açúcar e etanol, entrou na câmara arbitral contra o Natixis, agente administrativo dos bancos peruanos que venderam as ações dadas em garantia a eles para o fundo norte-americano Lone Star.

A Atvos tem intenção de manter a assembleia e votar o plano de recuperação judicial. Como maior credor, mas sem ser efetivamente “dono” da participação adquirida na Atvos, o Lone Star pode pedir a suspensão da assembleia.

Por sua vez, o Lone Star notificou a Atvos e seus advogados que a não transferência das ações (que depende de a empresa entregar os livros societários para registro), implicará em responsabilização pessoal por ação contra a lei das sociedades anônimas. De acordo com fontes, a Atvos e seus administradores devem responder à essa notificação.

A Odebrecht, aliás, diz que a venda foi ilegal e nula. Para o grupo, o Lone Star será responsabilizado pelo movimento, que tende a congelar o andamento do processo de recuperação da empresa. A Odebrecht, de acordo com fontes, considera o valor pago pelo controle, de cerca de US$ 5 milhões, irrisório dado o tamanho da operação.

“É um credor tentando tomar o controle da Atvos de forma hostil”, de acordo com avaliação de fonte. O Lone Star é um chamado “fundo abutre”, especializado em ativos problemáticos, e o uso de estratégias beligerantes faz parte de seu negócio.

Com US$ 40 bilhões em ativos sob gestão globalmente, o Lone Star é controlador do LSF10Brazil. Esse fundo de investimentos é um dos cotistas indiretos da Terra Nova Bioenergia Fundo de Investimento e Multiestratégia, representado pela Planner Trustee, assessorada juridicamente no processo de recuperação judicial pelo escritório Thomaz Bastos, Waizberg, Kurzweil (TWK) Advogados.

Assim, no caso envolvendo a Atvos, o Lone Star está acompanhado dos mais renomados advogados brasileiros especializados em processos de recuperação judicial. Não menos relevante, a Odebrecht e a Atvos estão representados por Eduardo Munhoz, também do grupo dos mais respeitados advogados em recuperação judicial.

Procurados, Odebrecht, Lone Star e Atvos não comentaram as informações.


Fonte: O Estado de S. Paulo