Clipping

Drones já realizam fertilização de precisão nos Estados Unidos

Postado em 4 de Fevereiro de 2021

 

Os drones já são muito utilizados para diversas funções dentro das fazendas, mas eles se mostram cada vez mais versáteis. Além de mapeamento e sensoriamento remoto, os vants já são usados para pulverização e podem fazer colheita de frutas e até mesmo fertilização de precisão.

É o que garante a agtech estadunidense Leading Edge Aerial Technologies, especializada em tecnologias aplicadas aos drones. Bill Reynolds, CEO e piloto-chefe da startup, explica que os veículos estão se mostrando muito eficientes para aplicações em locais difíceis.

“Operar um único UAV está provando ser uma maneira adequada para aplicação de precisão inseguros ou inacessíveis para aeronaves tripuladas, maquinários ou manualmente”, disse em entrevista para a revista Future Farming.

Precisão

Segundo ele, as possibilidades vão além da aplicação por si só mas também inclui a identificação de áreas perdidas para evitar falhas de aplicação e até aprimoramento da taxa variada por metro quadrado.

“As taxas de aplicação são o fator mais importante para uma aplicação eficiente. Encontramos uma taxa razoável entre 5,6-11,2 kg / ha, o que nos últimos dois anos nos permitiu cobrir (101ha) por dia com materiais secos ”, exemplificou.

Como a popularidade da aplicação de pesticidas por UAVs (drones) está aumentando em diversos países, a atenção agora está se voltando para aplicações precisamente direcionadas de fertilizantes, seja para macro ou micronutrientes.

Na agricultura de precisão, os drones criam um “círculo virtuoso”. Eles podem “escanear” a lavoura, identificar e mapear áreas problemáticas e depois retornar com aplicações direcionadas de pesticidas ou nutrientes para corrigir quaisquer deficiências ou tratar doenças ou pragas.

Limites

O fator limitante para aplicações é o tamanho e capacidade dos drones. Nos Estados Unidos, por exemplo, o tamanho dos vants é restrito a até 25 kg. E regras ainda mais restritivas podem surgir.

No entanto, isso ainda oferece muito espaço para a aplicação de macro e micronutrientes, explica o especialista.

“O sensoriamento inicial da lavoura para identificar as necessidades reais em cada área gera um mapa de prescrição. A partir dele, fazemos o plano de voo do drone que é importante para a integração bem-sucedida para uso agrícola”, acrescenta.

Modelo

O modelo PrecisionVision 35X UAS da Leading Edge Technologies é capaz de aplicar fertilizantes em até 101 ha a uma taxa de aplicação de 5,6kg por hectare. Ou seja, eles são indicados para corrigir áreas limitadas e não grandes extensões.

O modelo combina software e hardware e pode ser usado para líquidos, grânulos e aplicações ultrafinas. Possui um controlador de taxa variável embutido, bem como software para operação autônoma.

O software também ajusta a configuração do dosador e a largura da faixa para corresponder à taxa de aplicação desejada. Para uma taxa de aplicação de 5,6 kg/ha, por exemplo, requer uma vazão de cerca de 4,5 kg/min, o que cobre cerca de 0,8 ha/min.

 

 


Fonte: Canal Rural