Clipping

Em meio à crise, cooperativa que assumiu antiga Usina Cruangi tem recorde em safra

Postado em 29 de Junho de 2020

Em meio à crise gerada pela pandemia da Covid-19, agricultores da Cooperativa do Agronegócio dos Fornecedores de Cana (COAF) tiveram o que comemorar em 2020. A cooperativa de 1,7 mil canavieiros decidiu, em assembleia realizada no último dia 22 de junho, dividir R$ 7,8 milhões de sobras do faturamento da unidade na última safra, exercício 2019/ 2020, além de R$ 200 mil de sobras da unidade matriz no Recife, que serão distribuídos baseados na compra de insumos. Desde 2015, quando arrendaram a antiga Usina Cruangi, em Timbaúba, esta é a maior sobra de exercícios a que tiveram direito: R$ 9,10 por tonelada de cana.

O valor dos R$ 9,10 será somado aos R$ 30 médios de bonificação já pagos ao fornecedor na safra e ao valor da ATR (Açúcar Total Recuperado), em torno de R$ 11. “Somado com a partilha das sobras da Coaf, o preço médio por tonelada da cana na safra ficará em R$ 145,51, de forma que nossa usina fica sendo, em apenas cinco safras, uma das que melhor remunera pela cana o fornecedor em todo o país”, explica o presidente da cooperativa, Alexandre Andrade Lima.

No ano passado, o valor da sobra de exercício foi inferior a R$ 1. Alguns dos motivos de um crescimento tão significativo, de acordo com Alexandre, são a gestão ativa, colaboração dos cooperados e investimento no parque industrial (cerca de R$ 10 milhões no último ano). “Dentre estas modernizações, fizemos a troca das moendas que passaram a ter motores elétricos, automatização da caldeira e destilaria, por exemplo”, detalha Alexandre.

Outro grupo que também parece seguir os passos da COAF na questão administrativa e organizacional é a Cooperativa de Produtores de Cana de Açúcar da Mata Sul (COOAFSUL). Nesta semana, eles assinaram o contrato para o arrendamento da Usina Estreliana, em Ribeirão. Com investimento de R$ 7 milhões, a iniciativa visa gerar 2,3 mil postos de trabalho na Mata Sul. A moagem deve começar em meados de setembro.

A previsão da Cooperativa Agroindustrial de Fornecedores de Cana (COOAFSUL), responsável pela iniciativa, é de esmagar 500 mil toneladas de cana e produzir etanol inicialmente. Representando o governador Paulo Câmara, o deputado estadual licenciado e secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Aluisio Lessa, lembrou o ano de 2015, quando o governador disponibilizou o crédito presumido de 18% para a reabertura das cooperativas.

"Demos a nossa contribuição para a reativação da COAF/Cruangi e da Pumaty. Trabalhar para gerar desenvolvimento econômico, emprego e renda em Pernambuco é a nossa missão na política", afirmou.

Por Patrícia Monteiro


Fonte: Diário de Pernambuco