Clipping

Em recuperação judicial, Atvos bate recorde de produção e gera 4,5 mil empregos em Costa Rica

A Atvos, segunda maior produtora de etanol do país, protocolou, no dia 6 de agosto de 2019, seu plano de recuperação judicial na Justiça do Estado de São Paulo. A proposta fortalece a estrutura de capital da empresa e viabiliza investimentos de R$ 1,1 bilhão por ano-safra. Dessa forma, as operações ficam asseguradas, bem como o compromisso com os mais de 10 mil empregados, suas famílias, comunidades, parceiros, fornecedores e clientes. Atualmente, a empresa é responsável por 10% do abastecimento de etanol do mercado brasileiro.

Na unidade de Costa Rica, os números têm sido positivos. Nesta safra de 2019/2020, a Atvos bateu seus recordes de produtividade mensais, com a maior produção de etanol hidratado e a maior exportação de energia elétrica já registrada. Em junho, a unidade também registrou sua maior moagem realizada em um único dia. Hoje, a Unidade emprega diretamente mais de 1.100 pessoas e gera outros 3.400 empregos indiretos.

"Esses resultados provam o compromisso da empresa e de toda equipe em alcançar nossas metas de produtividade. Dessa forma, continuaremos contribuindo para o desenvolvimento social e econômico da região", adianta Fernando Albuquerque, superintendente do Polo Taquari que também abrange outra unidade em Alta Taquari.

A expectativa da Atvos como um todo é moer nesta safra cerca de 27 milhões de toneladas de cana, o suficiente para produzir 2,1 bilhões de litros de etanol, 237 mil toneladas de açúcar e 2,9 GWh de energia elétrica (sendo 1,9 GWh exportáveis).

Recuperação

O plano de recuperação judicial apresentado especifica condições de pagamentos para diversas classes de credores. A prioridade são os créditos de fornecedores, essenciais para a operação com previsão de pagamento integral em seu valor nominal, além dos derivados da legislação trabalhista. As dívidas trabalhistas serão quitadas em até 12 meses. Em relação aos fornecedores e parceiros agrícolas, propõe-se que o pagamento seja realizado em até três anos.

Credores das classes de quirografários, microempresas e empresas de pequeno porte poderão optar pelo recebimento do seu crédito no prazo de 90 dias a partir da homologação do plano, no limite de R$ 50 mil.

A estratégia é desalavancar a Atvos por meio da transferência de parte da dívida das unidades operacionais, o que possibilitará reduzir de seis para menos de três vezes o valor da dívida líquida da empresa em relação ao seu EBITDA - mantendo este indicador nos patamares do setor. Essa realocação engloba os valores devidos às instituições financeiras que representam 92% do total da dívida.

O equilíbrio financeiro, que prevê um caixa mínimo consolidado de R$ 800 milhões, permitirá à empresa seguir com seu plano de negócios, ampliar os canaviais, reduzir a capacidade ociosa e aumentar a geração de caixa. Os recursos necessários para a reestruturação serão totalmente originados na operação.

O plano de recuperação judicial torna-se público hoje e, após o período de contestação e negociação, será submetido à aprovação pela Assembleia Geral de Credores e homologação pelo Poder Judiciário.

No documento, constam ainda os laudos econômico-financeiros e de avaliação patrimonial dos ativos da companhia. Informações sobre o processo de recuperação judicial da Atvos estão no site www.atvos.com

 


Fonte: MS Todo Dia