Clipping

Em reestruturação, Shree Renuka recebe US$ 120 milhões da Wilmar

A companhia de agronegócios Wilmar, de Cingapura, fechou um acordo para realizar um aporte de aproximadamente US$ 120 milhões na companhia sucroalcooleira indiana Shree Renuka Sugars, como forma de capitalizar a empresa e colaborar em seu processo de reestruturação de dívidas.
 
A Shree Renuka Sugars é a maior produtora de açúcar da Índia, com seis usinas, duas refinarias, uma destilaria e três plantas de energia. A empresa também detém quatro usinas sucroalcooleiras no Brasil, todas em recuperação judicial.
 
Em troca do aporte, a Wilmar, por meio de sua subsidiária Wilmar Sugar Holdings, receberá mais de 481 milhões de ações preferenciais conversíveis compulsórias sem direito a voto da Shree Renuka Sugars, negociadas por um preço de 16,27 rúpias indianas por papel. As ações são obrigatoriamente conversíveis em ações ordinárias da companhia indiana após um prazo de 18 meses a partir da data da alocação.
 
Atualmente, a Wilmar já detém 27,24% de participação na Shree Renuka Sugars, com um total de mais de 257 milhões de ações da companhia. Quando a Wilmar converter as ações preferenciais em ordinárias, ela passará a deter cerca de 38% do capital da empresa indiana com direito a voto.
 
Como parte do pacote de reestruturação da Shree Renuka Sugars, a Wilmar precisará fornecer uma garantia no valor de US$ 415 milhões aos credores com os quais a empresa indiana está negociando para garantir o pagamento das obrigações da sucroalcooleira.
 
Além da capitalização por parte da Wilmar, a companhia indiana também tem discutido com seus credores a amortização de parte de sua dívida, a possibilidade de que os credores convertam parte de seus créditos em participação acionária ou em “garantias conversíveis” (que podem ser convertidas em outras garantias), e a reestruturação das dívidas remanescentes.
 
A conclusão da subscrição das ações por parte da Wilmar ainda está sujeita ao cumprimento de “condições precedentes” estabelecidos no acordo, que incluem a aprovação do pacote de reestruturação por parte do comitê de supervisão do Banco Central da Índia, por parte dos acionistas da Shree Renuka Sugars e pelas autoridades antitruste competentes.
 
Atualmente, a dívida da companhia é equivalente a pouco mais de US$ 560 milhões. A Shree Renuka Sugars não tem lucro líquido há cinco safras. Na temporada 2016/17, encerrada em março, o prejuízo foi de 10,397 milhões de rupias indianas, apesar de uma receita de 122,981 milhões de rupias. Apenas de custos financeiros, a Shree Renuka Sugars gastou 9,318 milhões de rupias.

Fonte: Valor Econômico