Clipping

Em SP, com dinheiro de 100 km em gasolina, dá para rodar 120 km com etanol

A vantagem do etanol em relação à gasolina segue crescendo e já é a maior em oito anos. Com isso, a depender do estado, o mesmo dinheiro que o motorista gasta para abastecer com gasolina renderia uma quilometragem maior se ele usasse a mesma quantia para abastecer com etanol.

Em São Paulo, por exemplo, o que um motorista desembolsa para rodar 100 quilômetros em gasolina seria o suficiente para rodar 120,4 quilômetros com etanol.

Gasolina do Brasil é uma das mais caras? Há 76 países com valor maior
Isso não significa que será necessário menos etanol do que gasolina –pelo contrário, cada litro do biocombustível rende cerca de 30% menos quilômetros que o da gasolina, e o gasto de combustível, na verdade, será maior.
A vantagem vem do preço: segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), em São Paulo, o etanol está custando R$ 2,462 por litro, valor 41,7% mais barato que o da gasolina (R$ 4,221), e é por essa razão que cada real “investido” nele, mesmo precisando de mais litros, ao fim renderá mais quilômetros do que os mesmos reais comprando gasolina.

Também há ganhos em outros cinco estados
É uma situação que se repete nos cinco outros estados do país onde o etanol também está mais vantajoso que a gasolina: Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso e Goiás.

Em Minas, por exemplo, quem usar etanol vai ganhar 15,10 quilômetros mais para cada 100 quilômetros que roda com gasolina. No Paraná, 100 quilômetros em gasolina virariam 110,8 quilômetros no etanol, e, no Rio, seriam 102,85 quilômetros.

A maior vantagem está no Mato Grosso: lá, o etanol está 43,8% mais barato que a gasolina, e o dinheiro gasto com ela para rodar 100 quilômetros daria 124,85 quilômetros em etanol.

Relação de 70%
As contas foram feitas pelo UOL com apoio do Instituto Mauá de Tecnologia, escola de engenharia de São Paulo que possui um centro de estudos especializado em motores e veículos.

O cálculo leva em consideração os preços médios por litro em cada estado entre os dias 5 e 11 de agosto, segundo levantamento feito semanalmente pela ANP em mais de 4.000 postos de todo o país. Também considera um motor em que o rendimento do etanol é de 70% do da gasolina.

“A relação de consumo [do etanol sobre a gasolina] varia de carro para carro, mas é de cerca de 70%”, disse o chefe da divisão de motores e veículos do Instituto Mauá, Renato Romio. “É por isso que, para o etanol compensar, usamos o 0,7 como referência; o litro do etanol tem que custar 70% ou menos do que o da gasolina.”

O tipo de carro, os locais por onde se está dirigindo (como estrada ou cidade) e a maneira como a pessoa conduz são fatores que Romio menciona que interferem no consumo do combustível e que podem fazer essa porcentagem ser um pouco menor ou um pouco maior a cada caso. “Às vezes é de 68%, às vezes pode ir a 74%. O ideal é a pessoa saber o consumo médio de cada combustível no carro dela”, segundo o pesquisador.

Maior desconto em oito anos
Atualmente, considerada a média nacional, o preço do etanol (R$ 2,688) está em 60,3% do da gasolina (R$ 4,461), nível que dá a ele larga vantagem e que há muito tempo não se via. É a menor proporção desde julho de 2010.

Todo ano, entre maio e setembro, aproximadamente, o etanol fica mais barato e tende a ganhar uma pequena vantagem como opção para encher o tanque nos estados onde é forte, já que são nesses meses em que é feita a colheita da cana-de-açúcar.

Neste ano, porém, o biocombustível surfa na onda de uma safra recorde, enquanto, do outro lado, a gasolina sente a pressão de uma disparada de preços que aconteceu lá fora tanto no valor do barril de petróleo quanto na cotação do dólar em relação ao real.

O resultado foi um distanciamento acentuado entre gasolina e etanol. Para se ter uma ideia, no ano passado, a proporção mínima que o etanol chegou em relação à gasolina foi 67,7%, em julho.


Fonte: Portal UOL Economia