Clipping

Em 2018 começam os testes nas usinas com o plantio da semente artificial de cana

O assunto que mais chamou a atenção esta semana no universo canavieiro foi o Plene Emerald, a semente artificial de cana que a Syngenta está desenvolvendo e promete revolucionar de vez o setor sucroenergético.
A empresa realiza vários eventos para marcar o lançamento do Projeto Integrare Cana, que propõe aumentar a produtividade do canavial. Na Estação Conhecimento da Syngenta, em Itápolis, SP, foi montada uma megaestrutura onde os visitantes conhecem e conferem na prática soluções para aumento de produtividade e longevidade do canavial.

Na Estação foram montadas 10 tendas de Conhecimento, uma delas é a do Plene Emerald, na qual o gerente de marketing da Syngenta, Michel Moraes, apresenta a semente artificial de cana e explica que uma de suas principais vantagens é a redução da quantidade de cana utilizada no plantio, que cairá de 20 toneladas (média em uma operação mecanizada) para apenas 200 quilos.

O Plene Emerald também foi assunto no lançamento do Integrare Cana para executivos de 42 grupos sucroenergéticos, em evento que a Syngenta realizou, em 24 de maio, em Ribeirão Preto, SP. Leandro Amaral, diretor de Marketing Cana-de-açúcar, falou que já foram plantados dois lotes com a semente de cana no campo de teste da empresa.

“Ficamos muito satisfeitos com o vigor da cana. Vamos consolidar os resultados dessas áreas e a proposta é, no próximo ano, ampliar os testes em diversos ambientes de produção, ou seja, sair do campo da Syngenta e realizar o plantio em áreas de usinas parceiras”, anunciou Amaral.


Fonte: CanaOnline