Clipping

Estiagem castigou canaviais paulistas em janeiro. Veja como deve ser o clima nos próximos meses

pós seca e calor excessivo nos primeiros 30 dias do ano, chuva deverá se tornar mais frequente e as temperaturas mais baixas a partir dessa semana

O produtor José Vagner Carqueestima uma quebra de produtividade de 20% para a safra 2019/20. Segundo ele, o clima bastante adverso enfrentado até o momento castigou seus canaviais, localizados na região paulista de Taquaritinga. “A produção do ciclo 2018/19 foi até razoável. Porém, as chuvas não deram as caras em janeiro. Esse fato deve empurrar a produtividade da nova safra para baixo.”

O meteorologista da Somar, Celso Oliveira, afirma que, após a estiagem e o calor excessivo registrado nos primeiros 30 dias do ano, a chuva deverá se tornar mais frequente e as temperaturas mais baixas a partir dessa semana. “Há uma tendência de alternância a partir de agora, com curtos períodos úmidos e secos. A temperatura não deve alcançar valores extremos por períodos tão prolongados novamente, padrão semelhante ao registrado no verão de 2015.”

Já o outono, a se iniciar em 21 de março, deverá ser mais úmido do que o de 2018. Ano passado, devido ao fenômeno La Niña, a estação registrou uma estiagem persistente. Já em 2019, haverá maior alternância entre os meses secos e úmidos. “Todavia, não devemos ter chuvas frequentes. Alguns meses serão mais chuvosos e outros, mais secos.”

O meteorologista estima também uma temperatura acima da média para os próximos meses, mas com poucos extremos de calor. “Atenção às quedas acentuadas de temperatura a partir de meados do outono. Não serão muitos declínios, mas podem ser intensos.”

 

 

 

 


Fonte: CanaOnline