Clipping

Estudantes de Barreiras desenvolvem etanol de banana se apresentam inovação em mostra científica no Pará

Estudantes do Centro Territorial de Educação Profissional (Cetep) Bacia do Rio Grande, em Barreiras, na região Oeste do Estado, produziram um bioetanol de banana. A ideia de fazer um combustível obtido através da fermentação controlada e da destilação dos resíduos da fruta surgiu a partir da observação do descarte durante o processo produtivo, do transporte e do armazenamento. A experiência, desenvolvida por meio do Projeto Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado, tem chamado a atenção no cenário nacional e será apresentada no 9º Movimento Científico Norte Nordeste (MOCINN), realizado de segunda a sexta-feira (3 a 7), no município de Abaetetuba, no Pará.

A professora orientadora Daiana Silva Rocha destaca o alcance social do projeto: “Ao aproveitamos bananas que seriam descartadas, damos uma opção aos pequenos agricultores da bananicultura de agregar valor a esses resíduos. Trabalhamos com banana madura, mas queremos testar com a fruta verde para ver qual estágio terá maior rendimento de álcool”.

O estudante Jefferson Pereira fala de sua satisfação de participar do MOCINN, evento criado em 2009 por professores que sentiram a necessidade da existência de uma feira itinerante entre os Estados do Norte e do Nordeste, com o projeto intitulado “Gerenciamento dos resíduos sólidos orgânicos da produção de banana para desenvolvimento bioetanol de segunda geração”. “Estou muito feliz e com alta expectativa de apresentá-lo mais uma vez fora do nosso Estado. Todas as viagens que já fizemos em prol deste trabalho foram de muito aprendizado em relação ao mundo acadêmico e da pesquisa. Graças à oportunidade de demonstrar o que a gente aprendeu me vejo cada vez mais pesquisador e me sinto realizado”.

Uso racional de energia – Outro projeto igualmente sustentável, “Uso consciente de energia no ambiente escolar”, realizado pelos estudantes do curso técnico de Informática, João Lucas Batista e Levi Villa Flor, do Colégio Estadual Rubem Nogueira, no município de Serrinha, também será apresentado no evento no norte do país. Este trabalho foi realizado a partir do uso racional da energia elétrica na escola, conforme explica a diretora da unidade e professora orientadora, Judite Sant’Anna Lima. “Os estudantes da disciplina Intervenção Social sugeriram a troca das lâmpadas por LED em todos os ambientes e o resultado foi impressionante na redução do consumo de energia. Na última sexta-feira, experimentamos a placa solar no interior da escola e vamos demonstrar no Pará que é possível um resultado positivo a partir de intervenções sociais”, relatou a educadora, que segue com a delegação da Bahia para Abaetetuba.


Fonte: Jornal Nova Fronteira