Clipping

Etanol combustível: melhor opção para uso da cana

Postado em 11 de Outubro de 2019

Veja as constatações que tiramos da última revisão, referente ao mês de setembro

Nesta revisão das estimativas de produção de cana, açúcar e etanol fizemos as seguintes alterações em relação à previsão anterior:

  • O volume de cana a ser moído no Brasil é maior devido a um clima mais favorável à lavoura;
  • Mudamos o mix da produção para um viés mais alcooleiro. Isto devido aos preços relativos do etanol e açúcar, que estão se mostrando mais favoráveis ao etanol. Na versão anterior de nossa previsão admitimos o contrário;
  • Menor volume de exportações de açúcar deverá ser realizado. Estamos prevendo um total de 18,5 mi t para as exportações brasileiras de açúcar . Este volume modesto foi verificado no passado na safra 2007/08. Ou seja, retrocedemos 12 anos em exportação de açúcar, significando que atualmente temos no etanol combustível opção melhor de uso da cana que no passado;
  • O consumo mensal previsto na safra atual para o etanol no Centro-Sul é de 2,5 bi litros. Nos primeiros cinco meses de safra o consumo mensal foi próximo de 2,7 bi litros . Ou seja, o preço relativo etanol/gasolina na bomba deverá subir na entressafra para inibir o consumo;
  • Com maior produção, o atendimento da demanda de etanol combustível será melhor que aquele inicialmente previsto. Mesmo assim estimamos que apenas 34% da demanda potencial de etanol seja atendida;
  • Considerando o etanol de milho, com produção prevista de 1,4 bi litros, o Brasil deve bater novo recorde de produção de etanol: 34,3 bi litros. Em 2018/19 foi 33,8 bi litros;
  • Os estoques disponíveis para venda de açúcar e etanol, previstos para o final de safra, devem ser relativamente baixos . Isto dará suporte para preços.

A tabela abaixo resume nossas alterações. ATR representa o total de produto final obtido, ou seja, é açúcar e etanol convertidos em produto único.

 

 


Fonte: Canal Rural