Clipping

Etanol/ RCMA Grup: Não resta dúvida que Brasil testará ao máximo mix alcooleiro em 2018/19

O diretor RCMA Group no Brasil, Felipe Ferraz, avaliou hoje que "não resta dúvida que o Brasil testará ao máximo o mix alcooleiro" na safra 2018/2019, diante do cenário global baixista para o açúcar. O grupo, que opera em originação e trading de açúcar no País, Europa e Ásia, estima que o destino da matéria-prima no Centro-Sul no período iniciado oficialmente em 1º de abril será de 59% para o etanol (o máximo já atingido em safras anteriores foi de 59,2%).

Ferraz estima que o preço do etanol continuará vantajoso sobre o do açúcar na próxima safra. Atualmente, o preço do etanol no mercado interno brasileiro equivale a um açúcar cotado na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) em cerca de 17 centavos de dólar por libra-peso, ante em torno de 12,70 cents negociado pela commodity nas operações de hoje. Ferraz prevê que o preço de equivalência do etanol possa recuar para 15 cents, no meio da safra este ano, ou seja, dificilmente deve perder a competitividade sobre o açúcar.

O RCMA Group - companhia cujos controladores principais são gestores de fundos - estimou um superávit global de 5,5 milhões de toneladas de açúcar na safra 2017/2018 (entre outubro de 2017 e setembro de 2018) e de 4 milhões de toneladas no período seguinte, o que já pressiona os preços do adoçante no mercado internacional. "Os agentes que podem mudar esse cenário são os 10 maiores produtores do mundo, que são os responsáveis pelo superávit", ponderou Ferraz, durante o simpósio "Abertura Safra Cana 2018/2019", organizado pela Datagro, em Ribeirão Preto (SP).

Por Gustavo Porto 


Fonte: Estadão Conteúdo Broadcast Agro