Clipping

EUA preparam novo programa de estímulo a biocombustíveis

Postado em 20 de Janeiro de 2020

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciou o plano de criar um novo programa de estímulo às vendas de biocombustíveis no país através de incentivos para a instalação de infraestrutura para a comercialização de combustíveis com misturas maiores de etanol e biodiesel.

O presidente americano Donald Trump permitiu no ano passado a venda de gasolina com 15% de etanol (E15) durante o ano todo. Antes, a venda do E15 era proibida durante o verão. Mas, apesar da liberação, as vendas ainda estão concentradas na mistura de 10% (E10), já que muitos postos de combustível não têm bombas adaptadas ao nível maior de mistura.

O USDA quer usar o Commodity Credit Corporation (CCC), uma agência estatal de fomento, para disponibilizar materiais e estruturas necessários, em conexão com a produção e comercialização de commodities agrícolas, e fomentar a expansão de mercados agrícolas domésticos.

Agora, o departamento está recebendo contribuições do público e explorando opções para atingir seus objetivos com o novo programa. A iniciativa é mais uma ação da gestão Trump para agradar os produtores rurais do Meio-Oeste antes das eleições de novembro e após anos de dificuldades econômicas enfrentadas pelo setor com a guerra comercial com a China.

Porém, os produtores americanos de biocombustíveis culpam as concessões feitas pelo governo Trump a indústrias de petróleo como a principal causa do excedente de combustíveis renováveis. Apesar dos EUA terem um programa de mandatos de biocombustíveis com volumes mínimos que as refinarias têm que misturar nos combustíveis fósseis - o Padrão de Combustíveis Renováveis (RFS, na sigla em inglês) - o governo Trump tem isentado várias refinarias de suas obrigações.

O governo americano atribui os baixos preços dos biocombustíveis e dos grãos à falta de infraestrutura dos postos. Segundo o USDA, os produtores rurais estão produzindo volumes recorde de grãos para serem usados na produção de combustíveis renováveis, mas as barreiras de infraestrutura estão gerando excedente de oferta, mantendo os preços das commodities agrícolas pressionados.

Segundo o USDA, 93% da frota americana de 263 milhões de veículos registrados nos Estados Unidos podem usar o E15, e há mais de 22 milhões de veículos flex que podem usar combustíveis com até 85% de etanol (E85) na gasolina. Juntos, esses veículos poderiam consumir o equivalente a 109,8 bilhões de litros de etanol (seja vendido como E10 ou como E85). Este volume representa o quádruplo das vendas de etanol do Brasil, somando a comercialização de anidro (misturada à gasolina) como de hidratado.

Porém, pouco mais de 1% das bombas americanas oferecem o E15 e apenas 2,4% oferecem o E85, de acordo com os dados do USDA. A maior parte das bombas com maiores misturas de etanol estão concentradas no Meio-Oeste americano, próximas aos polos produtores de grãos e das usinas

 


Fonte: Valor Econômico (17/01)