Clipping

Evento do setor de etanol americano tem foco em questões domésticas

A representante para a América do Norte da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA), Letícia Phillips, representou a associação na National Ethanol Conference (NEC), realizada pela Renewable Fuels Association (RFA) em Orlando, Flórida, em 13 e 14 de fevereiro. A participação da UNICA faz parte do projeto setorial com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Na ocasião, o novo presidente da RFA, Geoff Cooper, ressaltou as prioridades da entidade para o setor nos Estados Unidos, como o aumento de produção do etanol de milho e a liberação da venda do E15 (mistura de 15% de etanol na gasolina) durante todo o ano. A NEC é a principal conferencia do setor de etanol americano, onde são apresentadas as prioridades do setor para o ano, e conta com a participação de representantes da indústria americana e de todo mundo.

O evento, que teve foco no mercado interno americano, também contou com a participação do vice-secretário americano de Agricultura, Stephen Censky, que foi o convidado de honra. Censky afirmou que uma das prioridades de sua secretaria será abrir e defender acesso a mercados para os produtos agrícolas americanos, especialmente o milho e o etanol.

A representante da UNICA na conferência parabenizou o novo presidente da RFA, e informou da nomeação de Evandro Gussi como novo diretor presidente da UNICA. "Combinamos que na primeira oportunidade marcaremos um encontro entre eles”, informou Leticia.

Projeto
A Apex-Brasil e a UNICA tornaram pública em fevereiro de 2008 uma estratégia para promover a imagem dos produtos sucrenergéticos no exterior, em especial do etanol brasileiro como uma energia limpa e renovável. As duas entidades assinaram um convênio que prevê investimentos compartilhados. O projeto pretende influenciar o processo de construção de imagem do etanol e demais derivados da cana junto aos principais formadores de opinião mundial – governos e meios de comunicação, bem como empresas de trading, potenciais investidores e importadores, ONGs e consumidores.

 

 

 

 


Fonte: UNICA