Clipping

Exportações do campo cresceram 12% em julho, para US$ 10 bilhões

Postado em 14 de Agosto de 2020

As exportações do agronegócio brasileiro renderam US$ 10 bilhões em julho, aumento de quase 12% em relação ao mesmo mês do ano passado. O valor é resultado da alta de 21,5% nos volumes embarcados. Houve queda de 8% nos preços dos produtos, fator que impediu um desempenho ainda melhor, segundo o Ministério da Agricultura. Mesmo assim, o setor foi responsável por mais da metade de todas as vendas externas do Brasil no período.

A combinação “soja e China” continua a ser o fator preponderante para os bons números da balança comercial. Mas também ganharam destaque os desempenhos do segmento sucroalcooleiro - que embarcou quase o dobro de açúcar que em julho do ano passado -, das proteínas animais, da celulose e do algodão.

O Brasil exportou 10,4 milhões de toneladas de soja em grão em julho no total, um aumento de quase 40% em relação ao mesmo mês de 2019. Só os chineses importaram 76% disso - negócios de US$ 2,75 bilhões com 7,9 milhões de toneladas importadas. Ao todo, a receita gerada foi de US$ 3,6 bilhões.

As carnes aparecem na segunda posição no ranking por valor. As vendas no mês passado somaram US$ 1,5 bilhão, com 672 mil toneladas vendidas. A receita das exportações de carne bovina aumentou 23%, para US$ 776 milhões.

“O aumento ocorreu principalmente em função das vendas de carne bovina in natura à China, que saíram de US$ 154,33 milhões em julho de 2019 para US$ 375,50 milhões em julho de 2020, alta de 143,3%”, diz o ministério. As exportações de carne suína também subiram, e apenas a carne de frango teve desempenho mais fraco no período.

No caso do complexo sucroalcooleiro, a receita dos embarques subiu 73,8% entre julho de 2019 e julho de 2020, chegando a US$ 1,1 bilhão. As vendas externas de açúcar cresceram de US$ 526 milhões para US$ 964 milhões, incremento de 83,4% gerado pelo aumento de 92% na quantidade exportada (3,5 milhões de toneladas).

A Ásia continua como a principal compradora de produtos do agronegócio brasileiro. A China foi o país que mais aumentou sua participação nas exportações do Brasil em julho, de 32% para 38,4% do total. Complexo soja, carnes, produtos florestais, setor sucroalcooleiro e café são responsáveis por 85% das exportações, o que revela um aumento da concentração das exportações, segundo o ministério.

 

No acumulado do ano, o agronegócio brasileiro já exportou o valor recorde de US$ 61,2 bilhões, elevação de 9,2% em relação aos sete primeiros meses de 2019. O resultado também é puxado pelo aumento do volume enviado. O superávit da balança do segmento foi de US$ 53,97 bilhões.


Fonte: Valor Econômico