Clipping

Feplana participa de debate com deputados do RN em defesa da cana do NE

Projeto da Unida para a geração de 60 mil empregos diretos através da recuperação de canaviais no NE será debatido amanhã em audiência pública na ALERN
Nesta quarta-feira (19), às 14h, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALERN) debate sobre a geração de 60 mil empregos através da implantação de um projeto da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida) para a recuperação da produção canavieira do NE, que reduziu de 60 milhões de toneladas para 40 milhões nas últimas safras. A audiência pública foi solicitada pelo deputado Hermano Morais (MDB). O presidente da Federação de Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), Alexandre Andrade Lima, que preside a Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP), será um dos palestrantes do evento.

O projeto defendido será o Renovar, de autoria de Gregório Maranhão, consultor do setor sucroenergético pernambucano, mas concebido para ser aplicado em todo o Nordeste. E cada associação local do setor tem defendido junto aos governantes e assembleias legislativas dos estados produtores de cana na região. Com apoio da Feplana e da Unida, e em atendimento ao pedido do presidente da Associação dos Plantadores de Cana do Rio Grande do Norte, Bráulio Gomes, o deputado Hermano Morais garantiu a audiência para tratar do tema no Legislativo Estadual.

A queda de 20 milhões de toneladas da cana do NE nos últimos anos impacta na cadeia produtiva com reflexo significativo sobre a economia e desenvolvimento da região, visto o valor da cana para o PIB do NE. O Renovar busca restabelecer a produção de 60 milhões de ton. na região, gerando, com isso, 60 mil postos de trabalho diretos. Além do impacto econômico positivo, o projeto objetiva ainda formular uma Parceria Público-Privada (PPP) com os governos estaduais do Nordeste a partir dos recursos oriundos da União para combaterem a criminalidade no campo através da redução da desocupação – outra problemática social.

Para alcançar a meta produtiva proposta, o Renovar propõe recuperar 300 mil hectares de canaviais da região. Com essa retomada, as usinas voltariam a operar com toda sua potencialidade, uma vez que funcionam atualmente com cerca da metade de sua capacidade diante da falta de cana por cada safra. Com isso, as indústrias do setor sucroenergético, que são um integrante relevante da cadeia produtiva da cana de açúcar, potencializarão mais empregos, estimulando o progresso para a região.


Fonte: ALEXANDRE ANDRADE LIMA - pres Feplana