Clipping

FOI DESTAQUE NO INOVACANA: Netafim/Amanco desenvolveu sistema de irrigação com cérebro

Postado em 30 de Outubro de 2019

A tecnologia chegou ao campo e, nos últimos anos, tem transformado profundamente as formas e conhecimentos que tínhamos sobre a atividade rural. Softwares e equipamentos estão sendo desenvolvidos com inteligência e armazenamento de dados em nuvem (Big Data), que viabiliza a transferência ágil das informações coletadas no local de produção para o produtor, em tempo real.

Esses dispositivos, que integram o que hoje chamamos de Digital Farming, são capazes de detectar, ler e registrar uma série de informações, que rapidamente podem ser traduzidas por pessoas ou computadores, trazendo maior comodidade, precisão e novas possibilidades na gestão da produção rural.

No setor de irrigação, a multinacional israelense Netafim/Amanco, entrou de vez nesse mercado ao trazer para o Brasil o sistema de irrigação com cérebro, capaz de oferecer recomendações precisas ao produtor, com base em bancos de dados e modelos de cultivos dinâmicos.

O software NetBeat, atualiza tudo que foi proposto até hoje em termos de automatização e controle de irrigação. Ao eliminar qualquer outro tipo de necessidade complementar, a tecnologia reúne todas as funções necessárias em uma única plataforma, tornando o dia a dia de produtores, gestores e operadores, mais ágil, e eficiente.

“Em uma única tela o agricultor tem acesso as informações de clima, previsão do tempo, condições de solo e plantas, programas de irrigação em execução, calendário de atividades, recomendações técnicas e, pode programar qualquer processo de irrigação ou nutrirrigação em apenas alguns passos”, explica o Gerente de Digital Farming da Netafim/Amanco, Bruno Toniello.

Essas funcionalidades são possíveis graças a sensores que captam as informações em tempo real, que são processadas e analisadas para oferecer recomendações, além de automatizadores que permitem controlar tudo através do programa instalado em desktops, smatphones ou tablets.

A plataforma de irrigação 4.0 pretende revolucionar a forma com que os produtores realizam os processos no campo. “O NetBeat foi desenvolvido para trazer mais comodidade, mas não só, o objetivo é que o agricultor possa ter – baseado em dados e inteligência artificiar – maior assertividade nas tomadas de decisão, gerando mais rentabilidade, produtividade e melhor gestão dos recursos disponíveis”, destaca Toniello.

Combinado ao sistema de irrigação por gotejamento, a tecnologia permite otimizar a utilização de água na fazenda, já que a plataforma indica o período e a quantidade correta de cada aplicação. Esse fator também se aplica a outras necessidades, como energia elétrica e insumos, que também só são acionados de acordo com as necessidades das plantas.

A tecnologia de Digital Farming, também demostra mais eficácia ao permitir que o projeto de irrigação seja segmentado por talhões, ajudando na precisão com que todos os recursos são utilizados. “O sistema é dividido em vários projetos, então por exemplo, se apenas uma parcela da lavoura está apontando maior necessidade de água e nutrientes, o operador consegue programar a irrigação para aquele projeto específico”, acrescenta o Gerente. “Dessa forma, estamos otimizando e garantindo que as plantas se desenvolvam adequadamente, para expressar todo seu potencial produtivo”, finaliza.

A inovação também vem de encontro as necessidades frequentes do campo, de verticalizar a produção de alimentos. Segundo projeções da Organização das Nações Unidas (ONU) a população mundial deve chegar a 9 bilhões de pessoas em 2050, o que significa um inevitável aumento pela demanda de alimentos, água e energia elétrica. Isso significa que os produtores rurais, especialmente no Brasil, precisarão ser cada vez mais eficientes e sustentáveis para promover um aumento de oferta, combinado com a boa gestão dos recursos naturais.

Por Larissa Albuquerque

 


Fonte: Grupo Cultivar