Clipping

Fórmula 1 passará a utilizar combustível sustentável a partir da temporada de 2021

Postado em 21 de Dezembro de 2020

Segundo a Federação Internacional de Automobilismo, meta é zerar emissões de carbono na categoria até 2030

Seguindo os passos tomados pelas diversas fabricantes de carros ao redor do mundo, o automobilismo vem buscando formas para tornar o esporte mais sustentável para o meio ambiente. Prova disso está nas novas ações ambientais anunciadas pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que tem objetivos de curto e médio prazo principalmente para a principal categoria do esporte, a Fórmula 1.

Nesta quinta-feira (17), durante a Assembleia Geral Anual da FIA, foram aprovadas várias medidas que visam tornar a F1 mais sustentável. A principal delas, de efeito imediato, diz a respeito da utilização de um combustível 100% sustentável na categoria. Essas determinações chegam cinco anos depois da assinatura do Acordo de Paris, feita por líderes mundiais de 195 países e envolve várias ações ligadas acordadas em relação às questões climáticas.

Desenvolvido pelo Departamento Técnico da FIA e produzido para atender as especificações da categoria, o biocombustível já será utilizado na próxima temporada da F1, que começará durante o mês de março. Os primeiros galões desse novo combustível, produzidos a partir de resíduos biológicos, já estão em processo de entregue para as quatro fabricantes de motor da Fórmula 1 (Mercedes, Ferrari, Renault e Honda) para testes e validação já nessa semana.

Segundo Jean Todt, presidente da FIA, essas mudanças pretendem tornar a categoria mais amigável ao meio ambiente, com o investimento em tecnologia e inovação para a adesão de práticas mais sustentáveis.

"A FIA ASSUME A RESPONSABILIDADE DE LIDERAR O ESPORTE MOTOR E A MOBILIDADE EM UM FUTURO DE BAIXO CARBONO PARA REDUZIR OS IMPACTOS AMBIENTAIS DE NOSSAS ATIVIDADES, CONTRIBUINDO PARA UM PLANETA MAIS VERDE. AO DESENVOLVER COMBUSTÍVEL SUSTENTÁVEL FEITO DE RESÍDUOS BIOLÓGICOS QUE PODEM ALIMENTAR A FÓRMULA 1, ESTAMOS DANDO UM NOVO PASSO."

Essa ação tem como principal meta zerar a emissão de carbono de todos os eventos da F1 até o ano de 2030, sendo que a introdução de um biocombustível acabou chegando como parte do planejamento da chegada dos novos motores da categoria. A FIA exigirá no futuro que esse novo combustível seja utilizado para alimentar as novas unidades da categoria, que serão introduzidos a partir de 2025.

Para 2021, a Federação Internacional de Automobilismo também pretende adotar o biocombustível em outras categorias, como na European Truck Racing Championship (campeonato de caminhões disputado na Europa), e levar esse combustível para todos os campeonatos regrados pela associação até 2030. Enquanto isso, categorias como a Fórmula E, focada no desenvolvimento de motores elétricos, vão ganhando cada vez mais importância nessa busca de tornar o esporte mais sustentável.


Fonte: Portal Mundo Conectado