Clipping

Gigante de etanol em recuperação judicial garante continuar a investir em MS

Segunda maior fabricante de etanol do Brasil e em recuperação judicial diante do bloqueio de R$ 1 bilhão de seu caixa, a Atvos vai manter seu plano de investimentos para Mato Grosso do Sul, onde gera cerca de 4,6 mil empregos diretos. A garantia foi dada por diretores da empresa ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB) nesta segunda-feira (3), durante reunião em São Paulo, e integram o projeto para obter aval da Justiça para superar o mau momento.

Com unidades de produção de etanol em Costa Rica, Nova Alvorada do Sul e Rio Brilhante, a Atvos promete apresentar à Justiça em 60 dias, em seu plano de recuperação, as atividades das destilarias nos três municípios, fruto do pedido de bloqueio feito por um fundo norte-americano que é credor da companhia.

As dificuldades financeiras geraram preocupações na cadeia da cana-de-açúcar em Mato Grosso do Sul, já que, apenas no Estado, as usinas são responsáveis pela moagem de 13,5 milhões de toneladas de cana e, além de empregos diretos, contribuem na geração de outros 11 mil postos de trabalho indiretos.

“Em função da recuperação judicial, surgiu a preocupação de produtores, fornecedores, funcionários e prefeitos sobre a possibilidade de impacto nas atividades. Recebemos uma série de demandas sobre isso e viemos verificar a situação”, disse Reinaldo, após a reunião. “Aqui, recebemos da diretoria a garantia da manutenção de todos os compromissos que a empresa tem”.

A delegação estadual informou ter obtido uma mensagem “de tranquilização para produtores rurais, trabalhadores e prefeitos”, conforme destacou o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck. “Para que a empresa saia da recuperação judicial ela terá que fazer alguns investimentos no canavial. Então, a Atvos sinalizou positivamente a manutenção das atividades nas plantas de Mato Grosso do Sul, inclusive melhorias”.

Além de Reinaldo e Verruck, participaram da reunião os diretores da Atvos Juliana Baiardi (executiva), Joana Batista (jurídica), Alexandre Perazzo (financeiro) e Amaury Pekelman (relações institucionais), além do diretor executivo da Biosul, Roberto Hollanda.


Fonte: Campo Grande News