Clipping

Goiás: Seapa busca aproximação com usinas para impulsionar produção de etanol de milho

Postado em 28 de Janeiro de 2020

Com produção cada vez maior de milho, Estado de Goiás quer aumentar a oferta de etanol a partir do grão e agregar valor ao produto

Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostram que Goiás deve colher 10,9 milhões de toneladas de milho na safra 2019/2020. A partir desse dado, a perspectiva da produção de etanol de milho para a safra 2019/2020 é de 295,7 milhões de litros - um acréscimo de 54,9% em relação à safra 2018/2019, que foi de 190,9 milhões de litros. Da estimativa do total de etanol produzido no Estado (milho e cana-de-açúcar) - 5,4 bilhões de litros na safra 2019/2020 - 5,5% deve ser de etanol de milho. A participação também teve acréscimo, se comparada ao anterior, com aumento de 3,9% do total de etanol produzido.

Atento a esse panorama cada vez mais crescente de produção de etanol de milho no Estado, o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, o chefe de gabinete da Seapa, Adélio Prado, e o superintendente de Produção Rural Sustentável da Secretaria, Donalvam Maia, estiveram em Quirinópolis, na última sexta-feira, 17 de janeiro, visitando duas importantes usinas que têm investido nessa área. Os objetivos principais foram conhecer as estruturas das unidades e saber quais são as demandas relacionadas ao setor para potencializar ainda mais a produção de etanol de milho no Estado.

A comitiva da Seapa visitou a Usina Boa Vista, do Grupo São Martinho, e a SJC Bioenergia, ambas em Quirinópolis, e puderam conhecer mais de perto a estruturação das plantas de produção de etanol de milho e os investimentos realizados pelas empresas até agora. De acordo com o secretário Antônio Carlos, as sucessivas produções recordes de milho no Estado têm mostrado que o investimento na produção de etanol de milho é uma tendência que não pode ser ignorada, pelo contrário. "Apesar de a cana-de-açúcar ter se desenvolvido bem em Goiás, o etanol de milho tem um grande potencial a ser trabalhado, quer seja com a integração com as usinas que já produzem etanol de cana, quer seja em plantas específicas para o milho. Temos demanda, temos matéria-prima e temos tecnologia. O Governo de Goiás está atento a isso e por isso a Seapa está buscando cada vez mais dar condições a esse tipo de investimento ", salienta.

Na SJC Bioenergia, a comitiva da Seapa se reuniu com o diretor-geral Abel Uchoa, que apresentou a usina que já opera há quatro anos com a produção flex, ou seja, produzem etanol de cana-de-açúcar e de etanol de milho. O diretor mostrou que a produção do etanol de milho faz uso dos resíduos da cana e, por conseguinte, gera subprodutos como ração animal. "Aqui temos um bom exemplo de agregação de valor à produção goiana, aproveitando os resíduos da cana, o que é bom do ponto de vista ambiental, e fazendo com que haja novos subprodutos a partir da produção à base de milho, como a ração animal. É uma forma de beneficiar nosso milho aqui no Estado, contribuindo assim com a oferta de produtos industrializados e com maior valor agregado", destacou o secretário Antônio Carlos.

Na Usina Boa Vista, do Grupo São Martinho, a comitiva se encontrou com o diretor Agroindustrial, Ivan Barcellos, que deu detalhes sobre os investimentos do grupo na construção de um parque industrial voltado para a operação da produção de etanol de milho, que deverá ser inaugurado em breve. Durante a visita, o secretário Antônio Carlos ressaltou a orientação do governador Ronaldo Caiado em promover investimentos com eficiência do Estado no setor produtivo. "Por parte do governo, vamos garantir um olhar atento em todos os processos que envolvem o Estado para que os investimentos sejam realizados de forma eficiente, com toda a transparência, de maneira a dotar essas empresas de maior competitividade. Isso gera emprego, gera renda, movimenta a economia e faz as regiões se desenvolverem. Temos tudo para tornar Goiás como um dos maiores players da produção de etanol de milho no País e fazer o Estado crescer ainda mais", finalizou o secretário.

 


Fonte: Comunicação Seapa