Clipping

Governo confirma redução da mistura do biodiesel no diesel de 13% para 10%

Postado em 12 de Abril de 2021

O governo federal confirmou que vai reduzir o percentual de mistura do biodiesel no diesel vendido no país de 13% para 10%. A redução norteará o 79º Leilão, destinado ao produto que será comercializado em maio e junho. O certame foi interrompido esta semana, após as cotações do biocombustível negociado por usinas menores chegarem perto do Preço Máximo de Referência (PMR).

"O governo trabalha pelo fortalecimento e consolidação do mercado brasileiro dos biocombustíveis, porém em um ambiente que permita a competitividade, buscando a garantia do abastecimento nacional e preservando o interesse do consumidor quanto a preço, qualidade e oferta do produto", diz uma nota conjunta dos ministérios de Minas e Energia e da Agricultura divulgada há pouco. "A questão dos combustíveis demanda do governo zelo redobrado, uma vez que perpassa inúmeros setores (transporte público e de mercadorias) e atividades (agrícola e geração de energia, por exemplo), impondo a adoção de medida corretiva para mitigar eventual distorção momentânea que venha a ocorrer".

A nota faz referência aos preços altos da soja, matéria-prima de 71% do biodiesel brasileiro, para justificar a interferência no mandato da adição ao diesel fóssil. O texto diz que, mesmo com a previsão de colheita recorde (de 136 milhões de toneladas) nesta safra no Brasil, "o mercado mundial continua com forte demanda pela soja", devido aos baixos estoques do grão nos Estados Unidos e da crescente demanda da China.

"Nesse contexto, e, contando com a compreensão e contribuição do setor produtivo, fez-se necessário uma correção de rumo momentânea com relação ao percentual de mistura do biodiesel ao diesel comercializado no País, dos atuais 13% para 10%, no 79º leilão de biodiesel (L-79)", diz a nota.

Os ministérios ponderam que esperam "o quanto antes" a retomada da utilização do biodiesel nos teores estabelecidos pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), "com o aumento da produção e uso dos biocombustíveis no Brasil".

O percentual da mistura, conforme previsto em lei, aumentou de 12% para 13% em março.

 


Fonte: Valor Econômico (09/04)