Clipping

Governo libera o registro de 14 agroquímicos e 2 defensivos biológicos

Postado em 6 de Março de 2020

O Ato n° 13 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária, publicado nesta segunda-feira (2) no Diário Oficial da União traz o registro de 16 defensivos agrícolas formulados. Os produtos formulados são aqueles que efetivamente podem ser utilizados pelos agricultores na defesa de suas plantações. Veja a lista de defensivos liberados:

  • 2 Azoxistrobina
  • 2 Mancozebe
  • Glufosinato – Sal de Amônio
  • Malationa
  • Sulfentrazona
  • Diafentiurom
  • Mesotriona
  • Cyantraniliprole
  • Isoxaflutol
  • Espirodiclofeno
  • Lufenurom + Tiodicarbe
  • Difenoconazol
  • 2 Trichoderma harzianum

Dois desses produtos utilizam agentes de controle biológicos na sua formulação, contribuindo para o aumento da sustentabilidade da agricultura nacional.

Todos os defensivos que tiveram o registro publicado já estão registrados e em uso no Brasil como ingredientes ativos de outros agroquímicos já comercializados. O registro de defensivos agrícolas genéricos constitui uma importante política para a diminuição dos impactos dos monopólios e oligopólios no mercado de determinados ingredientes ativos. Uma dinâmica que beneficia a livre concorrência e a competitividade da agricultura nacional.

Nenhum desses produtos é inédito no mundo: todos já foram registrados pelo menos nos Estados Unidos, Europa ou Austrália.

O coordenador-geral de Agrotóxicos e Afins do Ministério da Agricultura, Bruno Breitenbach, reitera que todos os produtos registrados foram analisados e aprovados pelos órgãos responsáveis pela saúde, meio ambiente e agricultura, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais.

Os defensivos que tiveram o registro publicado hoje foram analisados pelo Ministério da Agricultura, pelo Ibama e pela Anvisa nos últimos meses.

 


Fonte: Notícias Agrícolas