Clipping

Granbio apresenta uma “super variedade de cana” em evento sobre novidades tecnológicas

Palestra no 2º INOVACANA – que é uma realização do Grupo IDEA – vai detalhar benefícios da variedade Vertix 3, caracterizada por elevada produtividade, alto teor de fibra e de sacarose      

Quando a bioeletricidade começou a se destacar há alguns anos, como o terceiro produto do setor sucroenergético, a possibilidade de desenvolvimento de variedades de cana, que conseguissem associar alto teor de fibra e de sacarose, era considerado algo utópico, muito distante da área de melhoramento genético.

O que parecia inimaginável – e era considerado um grande desafio – já se tornou realidade e vai ser apresentado no 2º INOVACANA - Seminário sobre Inovações Tecnológicas na Cana-de-açúcar. É isso mesmo: o diretor de tecnologia agrícola da Granbio, José Antônio Bressiani, vai falar sobre a primeira variedade de cana-energia, a Vertix 3, que apresenta elevada produtividade em toneladas de cana por hectare e proporciona maior longevidade ao canavial, além de índices expressivos de sacarose e de fibra.

Esse material tem também ótimo desempenho em áreas com solo fraco e déficit hídrico acentuado – revela José Bressiani, que realizará, no 2º INOVACANA, a palestra “Apresentação da primeira variedade Vertix de alta tonelagem com ATR superior”. O evento, que é uma iniciativa do Grupo IDEA, acontecerá nos dias 4 e 5 de setembro (terça e quarta), em Ribeirão Preto, SP.

De acordo com ele, o melhoramento genético voltado ao desenvolvimento de cana-energia possibilitava, inicialmente, a obtenção de variedades com alto índice de biomassa – porém, com baixo teor de sacarose –, destinadas à produção de bioeletricidade e de etanol de segunda geração.

O surgimento da Vertix 3 mudou diversos parâmetros no manejo varietal e no desenvolvimento da cana-energia. Essa variedade da Granbio possui teor de fibra próximo de 20% e ART de 110 quilos por tonelada de cana. Com essas características, a Vertix 3 pode ser processada juntamente com a cana-de-açúcar tradicional para a produção de etanol de primeira geração. E, posteriormente, pode ser ainda utilizada – enfatiza José Bressiani – para geração de energia ou etanol 2G, pois disponibiliza grande quantidade de bagaço.

Outro diferencial dessa variedade é a produtividade em toneladas por hectare. Experimentos com a Vertix 3 mostraram um rendimento médio de 128 TCH em três cortes, enquanto a cana convencional alcançou 85 TCH. O surpreendente é que essa cana-energia está registrando uma produtividade crescente: 124 TCH no primeiro corte; 127 TCH no segundo e 131 no terceiro. A outra variedade, utilizada nesse experimento, teve um rendimento decrescente, como sempre ocorre com a cana tradicional, produzindo 116 TCH no primeiro corte, 74 TCH no segundo e 64 TCH no terceiro.

Essa performance da Vertix 3 é decorrente de suas características especiais, como a maior presença de rizomas e a grande capacidade de perfilhamento, observa José Bressiani, que detalhará, no 2º INOVACANA as demais características desta variedade, que certamente vai revolucionar a produção e o fornecimento de matéria-prima para a indústria sucroenergética.

Em três cortes, produziu uma quantidade média de açúcar de 12% superior à outra variedade devido ao seu alto rendimento agrícola em toneladas por hectare. Esse índice deverá se tornar ainda maior em decorrência da produtividade crescente. Estes rendimentos podem alcançar entre 20% a 25% se cultivadas em solos de melhor fertilidade – calcula José Bressiani.

Os ganhos não param aí. A maior longevidade do canavial com a Vertix 3, que poderá atingir entre 8 e 10 cortes, também é destacada pelo diretor de tecnologia, segundo ele, essa duplicação do ciclo derrubará significativamente o custo de produção de matéria prima.

Devido à sua rusticidade e ao sistema radicular mais robusto, essa variedade de cana resiste mais ao pisoteio e ao arranquio provocados pela mecanização da colheita, em comparação às canas convencionais. A Vertix 3 também aumentará o faturamento das unidades produtoras de cana por meio do CBios (créditos de descarbonização) – criados pelo RenovaBio –, porque captura maior quantidade de dióxido de carbono (CO2), conforme demonstraram os experimentos da Granbio. 

Com tantos benefícios, a “cana dos sonhos” deverá se tornar uma fantástica opção aos produtores de cana de todo país – e da indústria – em pouco tempo. A Vertix 3 está em fase final de validação comercial e já está sendo multiplicada em algumas usinas do Centro-Sul desde 2017 e logo será oferecida em forma de MPB àqueles que se associarem ao programa da Granbio. Em Alagoas já está sendo cultivada por produtores e usinas há alguns anos.

As características, as vantagens e os diferenciais da Vertix 3 serão detalhados no 2º INOVACANA, que apresentará diversas novidades tecnológicas que estão proporcionando excelentes resultados em usinas e produtores. Além disso, o evento terá palestra magna com uma das principais conferencistas do Brasil, a Dra. Martha Gabriel, que abordará o tema, “Cultura Corporativa: berço ou túmulo da Inovação?”.

Os inscritos no 2º INOVACANA terão a oportunidade de participar gratuitamente do 1º EUDrone Cana-de-açúcar – Encontro de Usuários de Drones, Vants e Assemelhados.

A programação completa do 2º INOVACANA está disponível no site: www.inovacana.com.br . 

Serviço:
Evento: 2º INOVACANA

Data: 04 a 05 de setembro de 2018
Local: Centro de Convenções de Ribeirão Preto/SP
Mais informações: (16) 3211 4770
E-mail: eventos@ideaonline.com.br

INSCREVA-SE!


Fonte: Grupo IDEA