Clipping

Grãos: pela 1ª vez na história, safra deve superar 270 mi de toneladas

Postado em 8 de Abril de 2021

Em relação a levantamento do mês passado, houve aumento de 1,5 milhão de toneladas, sustentado especialmente pelo crescimento na área plantada de milho segunda safra

A produção de grãos no Brasil deve atingir o recorde de 273,8 milhões de toneladas na temporada de 2020/2021. Os dados fazem parte do 7º levantamento divulgado nesta quinta-feira, 8, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O crescimento atinge 6,5%, o correspondente a 16,8 milhões de toneladas sobre a safra passada.

O destaque dá-se sobretudo a partir da consolidação do plantio das culturas de segunda safra e início de semeadura das culturas de inverno, com sustentação no aumento geral de 68,5 milhões de hectares e boa performance da soja e do milho.

Já em relação ao mês passado, houve um aumento de 1,5 milhão de toneladas, sustentado especialmente pelo crescimento de 1,1% na área plantada de milho segunda safra, além do ganho na produtividade da soja.

Área de plantio
Quanto à área total de plantio de grãos, o boletim registra um crescimento de 3,9% sobre a safra anterior, com previsão de alcançar 68,5 milhões de hectares. Esse volume conta com a participação de cerca de 20 milhões de hectares provenientes das lavouras de segunda e terceira safras e as de inverno, que ocuparão a pós-colheita da soja e do milho primeira safra.

Milho
O milho total também sinaliza produção recorde, com a previsão de atingir 109 milhões de toneladas e crescimento de 6,2% sobre a produção passada. Serão produzidas 24,5 milhões na primeira safra, 82,6 milhões na segunda e 1,8 milhão na terceira safra.

Apesar das incertezas relacionadas ao clima, as perspectivas para a produção brasileira do cereal na temporada 2020/21 se mostram otimistas. A colheita do milho verão, nas regiões Centro e Sul do país, vem ocorrendo numa velocidade acima dos 57% de média dos últimos cinco anos, não sendo maior em virtude da momentânea concorrência com a soja.

Na última semana de março, já havia 91,7% da área semeada das lavouras de milho segunda safra, perante 96,2% no mesmo período da safra passada. Houve a intensificação do plantio das lavouras no mês de março, o qual estava atrasado em razão dos problemas sequenciais provocados pelo clima, observados no planejamento operacional das lavouras.

Os dados relacionados à terceira safra do cereal, cujo plantio terá início a partir de maio, continuará recebendo os estímulos das cotações ora praticadas, estando previsto para aquela etapa, a continuidade no crescimento da produção.

Soja
No caso da soja, que tem o Brasil como maior produtor mundial, o volume deve alcançar novo recorde, estimado em 135,5 milhões de toneladas, 8,6% ou 10,7 milhões de toneladas superior à produção da safra 2019/20.

Exportação
Para o milho, os embarques do ano continuam lentos. No entanto, dada a conjuntura no cenário externo, a Conab espera uma previsão de exportações em 35 milhões de toneladas para a safra atual, valor praticamente igual ao observado na última safra.

Para a soja, estima-se a venda para o mercado externo de 85,6 milhões de toneladas, aumento de 3%. Confirmada a previsão, será um recorde da série histórica. O suporte seria dado pela demanda internacional ainda aquecida e pelo alto percentual de comercialização observado para a safra atual.

 


Fonte: Canal Rural