Clipping

Grupo solicita alvará para começar a construção de usina de etanol em Sinop

A construção da maior usina de etanol de milho do Brasil deve começar nos próximo dias às margens da BR-163, nas proximidades do bairro Alto da Glória. O pedido de alvará solicitando licença para iniciar as obras já foi entregue no Núcleo de Projetos e Desenvolvimento Urbano de Sinop (Prodeurbs) e a expectativa é que os trabalhos comecem nos primeiros dias de maio. “Tivemos uma reunião com os diretores da empresa no Conselho Estadual de Meio Ambiente onde foi solicitado que não haja pedido do Estudo e Relatório de Impacto Ambiental  (Eia/Rima) que demora cerca de 1 ano e meio. Como a usina é uma fábrica de circuito fechado e todo resíduo é tratado foi solicitado esta liberação para que ela possa começar a produzir assim que as obras terminarem”, disse ao Só Notícias, a prefeita Rosana Martinelli. “É um marco que está se concretizando em Sinop. É um grande projeto industrial que será realizado. E atrás dessa empresa estão vindo muitas outras”, comemorou a prefeita.  

Para a construção da usina serão contratados de 2,5 a 3 mil funcionários e, quando iniciar a produção, poderá empregar até 600 pessoas inicialmente. Mais de 12 mil currículos já foram enviados para a empresa, por e-mail.

Serão investidos, no total, um valor entre R$ 450 milhões a R$ 500 milhões. A prefeita confirmou, em novembro, que a prefeitura concederá incentivos fiscais com isenção do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) e ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis).  Ainda garantiu que, conforme previsão de aumento populacional, haverá instalação de infraestrutura adequada para os moradores da região.

Anteriormente, a prefeita também informou que, com este empreendimento, o bairro Alto da Glória terá outros benefícios - creches, escolas e unidades de saúde e houve contato com a concessionária que administra a BR-163 para instalar uma passarela em frente à escola do bairro, pois haverá aumento considerável no fluxo de caminhões.

O diretor-executivo da multinacional, José Odvar Lopes, revelou que a projeção de produção é deve absorver 1 milhão de toneladas de milho na região por ano. Serão fabricados etanol, proteína (DDGS para ração animal) e óleo de milho. “Nosso foco é mais o mercado interno (se referindo ao etanol). Nos próximos dez anos talvez a gente pense em exportação. O óleo certamente será exportado. (A matéria-prima) Virá, com certeza, de Sinop e cidades vizinhas”, informou, anteriormente. A projeção é carregar 200 carretas diárias.


Fonte: Só Notícias