Clipping

IFA: oferta global de fertilizantes crescerá mais que a demanda até 2021

O aumento na capacidade produtiva de países asiáticos, África e Estados Unidos devem colaborar para que a oferta global de fertilizantes cresça além da demanda até 2021, disse nesta terça-feira, 29, a diretora-geral da Associação Internacional de Fertilizantes (IFA), Charlote Hebebrand, durante o 7ª Congresso Brasileiro de Fertilizantes, promovido pela Associação Brasileira para Difusão de Adubos (Anda) em São Paulo.

Só para o nitrogênio, um dos principais agentes utilizados no processo de fertilização agrícola, é esperado um superávit de 10 milhões de toneladas entre 2016 e 2021. Outros agentes ativos, como os fosfatados, também tendem a registrar crescimento na oferta. “Esses números refletem uma projeção, não sabemos se toda essa capacidade vai acontecer, mas é o que esperamos”, ressalta a executiva.

Na ponta vendedora, o grande driver do continente africano é o Marrocos. Nos Estados Unidos, Charlote já enxerga uma possível redução nas importações ocasionada pelo avanço na capacidade de produção dos norte-americanos.

Em contrapartida, a demanda global também tende a crescer até 2021, em 17 milhões de toneladas, motivada por incremento nas compras de países como China e Brasil. “O Brasil é um mercado extremamente importante para o segmento de fertilizantes, há espaço para crescimento vindo dos cultivos de milho e cana-de-açúcar. Isso deve impulsionar a procura dos agricultores brasileiros”, explica a representante da IFA. Os chineses não possuem uma cultura específica que motive aumento nas compras, mas, historicamente, a China considerada um importador significativo ao longo de décadas.

Para manter a lucratividade em uma cadeia onde a oferta deve permanecer acima da demanda, Charlote recomenda que as indústrias do setor aumentem a eficiência e reduzam custos, principalmente de infraestrutura.


Fonte: Estadão Conteúdo