Clipping

Início mais açucareiro e vendas menores de etanol tiram ímpeto do CBio na B3

Postado em 18 de Maio de 2021

Os Créditos de Descarbonização (CBios) seguem uma trajetória estável, sem variações entre as mínimas, máximas e médias, tanto quanto no volume de negócios. Em geral, todo os números estão baixos nas telas da B3 (B3SA3).

Desde o início da safra de cana do Centro-Sul, os títulos que monetizam as vendas de etanol pelas usinas e negociados no mercado – e que são a base do RenovaBio -, avançaram no máximo R$ 2.

Mas desde o começo de abril se mantém na casa dos R$ 30, como nesta segunda (17), segundo dados coletados por Money Times junto a algumas corretoras (as estatísticas da B3 saem com um dia de atraso).

O início de safra mais açucareiro, pela pela remuneração às usinas (várias começaram a moer somente este mês), e, inclusive a fixação de exportações da commodity, que obrigou também a dedicação maior da moagem, tiraram o ímpeto de preços.

Com menos etanol vendido, menos CBios entram no mercado, comprimindo também o interesse dos compradores – tanto as distribuidoras, que são os adquirentes compulsórios, quanto investidores.

Tanto que o volume de comercialização está inexpressivo. Na sexta, passou pouco dos 269 mil títulos, que se concentraram em 158 negócios.

 


Fonte: Money Times