Clipping

Jacto apresenta sua nova colhedora de cana com tecnologias inovadoras

Postado em 20 de Agosto de 2020

Colhedora está em fase de testes e irá proporcionar mais produtividade e economia, uma vez que tem o diferencial de colher simultaneamente duas linhas, com potencial redução de até 35% no consumo de litros de combustível por tonelada de cana colhida. O design diferenciado da plataforma de colheita flutuante na parte frontal da máquina permite que a colhedora se adapte às irregularidades do solo, proporcionando um corte de maior qualidade, na altura adequada, diminuindo as perdas e preservando a integridade do canavial. Entre outros diferenciais inovadores, destaca-se o sistema de limpeza mais eficiente, com ventiladores radiais sopradores que limpam a cana em duas etapas.

Colher até o dobro de toneladas de cana por hora em relação às colhedoras de uma linha, com maior eficiência energética, com um corte de mais qualidade e significativa redução no consumo de combustível. Estes são alguns dos diferenciais das novas tecnologias que a Jacto apresenta para a colheita de cana-de-açúcar, a colhedora Hover 500.

“A Jacto quer ter uma presença maior no setor sucroenergético e entende que é um segmento onde existem várias necessidades ainda não resolvidas, incluindo questões relacionadas à produtividade e economia. Neste sentido, estamos apresentando essa nova colhedora de cana, resultado de um projeto que ouviu os envolvidos nessa cultura e colheu dessas parcerias boas informações para apresentar um produto que atenda a essas necessidades”, explica Fábio Torres, gerente de vendas para negócios de cana-de-açúcar.

A nova colhedora permite maior produtividade, uma vez que segue a tendência de colheita em duas linhas e apresenta uma tecnologia inovadora, com o dispositivo de corte e transporte de cana localizado na parte frontal da máquina, em um conceito do tipo plataforma flutuante, que possibilita um corte mais preciso, com maior qualidade.

Essa tecnologia, com patente requerida pela empresa, contribui para a preservação da capacidade produtiva do canavial, uma vez que apresenta maior mobilidade para se adaptar às diferentes condições do solo, além e ser mais sensível às variações do relevo ao longo das linhas de cana, evitando o arrancamento da soqueira.

“O grande desafio foi criar um sistema capaz de acompanhar as irregularidades do solo não só ao longo da linha de cana, mas também no sentido transversal às linhas”, explica Adilson Bazucco, Gerente de Negócios de Colheita de Cana, que complementa que “ao longo do desenvolvimento da colhedora, procuramos entender como ela poderia fazer uma entrega diferenciada para o produtor.

Unimos o que de melhor havia nos modelos atuais de colhedoras do mercado com outras tecnologias inovadoras de colheita. Trabalhamos esse novo conceito de tecnologia considerando também o que o cliente mais nos pedia em termos de colheita de cana: aumento da produtividade. Por esta razão, optamos por fazer o projeto que colhesse duas linhas e que, além de aumentar a produtividade, também possibilitasse diminuir as perdas e impurezas durante a colheita. Adicionalmente, a Hover 500, por ser mais eficiente em termos energéticos, permite ganhos expressivos de economia de combustível por tonelada de cana colhida, o que vem de encontro à busca constante por redução dos custos de colheita por parte dos produtores. As colhedoras de cana trabalham mais de 3 mil horas por ano e o consumo de combustível é um importante componente do custo de colheita” avalia.

O especialista reforça que uma das principais características da Hover 500 está em sua capacidade de copiar o solo, proporcionando um corte menos agressivo à lavoura, que contribui diretamente para a diminuição de contaminação mineral, redução de perdas e na longevidade do canavial.
Entre outros diferenciais está o sistema de limpeza da colhedora. Ao contrário dos equipamentos disponíveis no mercado, que utilizam o conceito da exaustão ou sucção de impurezas, a colhedora da Jacto trabalha com o conceito de limpeza que sopra o ar e cria dois fluxos de ar de baixo para cima, limpando a cana em dois estágios.

“Esse sistema de limpeza com ventilação soprante possibilita realizar a separação das impurezas em dois estágios dentro da câmara de limpeza. Devido a essas características foi maior eficiência energética. E menos energia significa menos consumo de combustível. Portanto, em termos
de energia, é um equipamento mais rentável”, avalia.

O aspecto da economia de combustível também é destaque comparando a quantidade de potência para a colheita. As colhedoras atuais disponíveis no mercado, que colhem uma linha, trabalham com motores na faixa de 350 cv de potência. A colhedora da Jacto trabalha com 470 cv, colhendo duas linhas na mesma velocidade de uma máquina comum de uma linha, gerando assim até 35% de redução de consumo de combustível em litros por tonelada de cana colhida.

"Esse sistema de limpeza com ventilação soprante possibilita realizar a separação das impurezas em dois estágios dentro da câmara de limpeza. Devido a essas características foi possível aumentar a eficiência na separação das impurezas, resultando em maior eficiência energética. E menos energia significa menos consumo de combustível. Portanto, em termos de energia, é um equipamento mais rentável”, avalia.

O aspecto da economia de combustível também é destaque comparando a quantidade de potência para a colheita. As colhedoras atuais disponíveis no mercado, que colhem uma linha, trabalham com motores na faixa de 350 cv de potência. A colhedora da Jacto trabalha com 470 cv, colhendo duas linhas na mesma velocidade de uma máquina comum de uma linha, gerando assim até 35% de redução de consumo de combustível em litros por tonelada de cana colhida.

Boa parte deste benefício é gerado pelo novo sistema de limpeza. Mas há outras soluções que contribuem para o menor consumo de combustível. Por exemplo, o sistema de transmissão mecânica dos ventiladores e picador, inspirado nas tecnologias utilizadas há muito tempo nas colhedoras de cereais e forrageiras, mais eficiente do ponto de vista energético que o atual sistema hidráulico.

Outra característica importante é a bitola da máquina ajustada para trafegar sem pisoteio sobre duas linhas de cana, nas lavouras com espaçamentos regulares 1,5m x 1,5m e 1,4m x 1,4m. Desta forma torna-se possível a prática do controle de tráfego da colhedora com os demais equipamentos. Além disso, esta máquina evita o pisoteio sobre metade das linhas de cana, proporcionando menor compactação do solo.

Para tornar possível a operação no modelo acima, o sistema de elevação e descarga da máquina foi redimensionado, apresentando maior largura comparado aos modelos do mercado, para se adequar à maior capacidade de colheita e às distâncias de descarga. Também foi desenvolvido um novo sistema de giro, conferindo maior robustez ao equipamento.

Resumidamente, os principais benefícios do equipamento são:

  • Mais rendimento e mais economia: colhe duas linhas, alcançando até o dobro de cana colhida por hora em relação às máquinas atuais de uma linha, economizando até 35% de litros de combustível por tonelada de cana colhida.
  • Redução de perdas e preservação do canavial: plataforma de colheita acompanha o solo, atingindo a altura ideal para o corte na base da cana nas duas linhas simultaneamente colhidas. Desta forma, reduz a perda de cana e o arrancamento das raízes, preservando a capacidade produtiva e a longevidade do canavial.
  • Redução de impurezas: com dois estágios de limpeza e fluxo de ar mais eficiente, utilizando ventiladores radiais sopradores, o novo sistema de limpeza permite que a quantidade de impurezas na carga seja menor, proporcionando uma entrega de material colhido com mais qualidade as usinas.
  • Redução da compactação do solo: A Hover 500 reduz a compactação do solo ao transitar somente em metade das entre linhas que a colhedora de uma linha transita, o que possibilita a preservação da soqueira da cana e maior número de cortes do canavial, com redução de investimento em renovação.