Clipping

Justiça rejeita oferta de compra da São Fernando

A proposta da Pedra Angular – veículo de investimento liderado pelo economista Winston Fritsch – para comprar a Usina São Fernando, que era da família de José Carlos Bumlai e teve a falência decretada em 2017, foi rejeitada pela Justiça sul-mato-grossense. Em despacho na segunda-feira, o juiz Jonas Hass Silva Júnior, da 5ª Vara Cível de Dourados, julgou que a oferta da Pedra Angular não oferecia garantias de que os investidores tinham capacidade financeira e não financeira para tocar o negócio.

Fritsch e os investidores Rodrigo Aguiar, que presidiu a Tonon Bioenergia, e Paulo Vasconcellos, fundador da Energias Renováveis do Brasil, haviam ofertado R$ 825 milhões pela usina de Dourados, com pagamento em 20 anos, sendo R$ 10 milhões à vista.

O juiz avaliou que a Pedra Angular é "incapaz de assumir tamanho compromisso" e que capital social da empresa "é ínfimo ante o tamanho das dívidas, do capital da massa falida, e do fluxo de caixa diário da massa falida". O magistrado ressaltou que o prazo de pagamento alongado significaria que menos de 10% da proposta seria paga nos cinco primeiros anos.

A decisão refletiu o parecer de oito credores que representam 60% da dívida da usina – de R$ 1,5 bilhão – e que pediram a rejeição da proposta ao juiz. Foram eles o Banco do Brasil, o BNDES, a consultoria EXM Partners, a Agrofield Centro-Oeste, o BNP Paribas, a John Deere Brasil e a Monteverde Agro Energética.

Segundo uma fonte, que prefere o anonimato, os credores consideraram que a proposta estava abaixo do valor avaliado da usina e não contemplava os investimentos necessários. O valor de R$ 825 milhões, trazido a valor presente, considerando-se a Selic em 6,5% ao ano, representaria menos de R$ 350 milhões. O montante equivale a menos da metade do valor avaliado da usina, disse.

O único credor relevante favorável à proposta foi o Grupo Bertin, através da holding Heber Participações, que detém 11% do crédito da Usina São Fernando. O grupo foi sócio da usina até 2011, quando vendeu sua participação aos Bumlai.


Fonte: Valor Econômico