Clipping

Kingsman reduz projeção de excedente de açúcar por etanol e Irma

O excedente global de açúcar será menor do que o previsto anteriormente, porque as usinas brasileiras estão optando por produzir mais etanol e o furacão Irma reduziu a produção em Cuba, segundo a empresa de consultoria Kingsman.
 
A oferta superará a demanda em 3,87 milhões de toneladas na safra 2017-2018, que começa em outubro na maioria dos países, disse Claudiu Covrig, analista sênior da unidade da S&P Global Platts. A projeção é quase 1 milhão de toneladas menor que a anterior e reverte a estimativa de escassez para a temporada, disse.
 
"Nós reduzimos o excedente porque as usinas brasileiras estão se voltando rapidamente ao etanol", disse Covrig, por telefone. "Também vimos o furacão Irma reduzir a oferta em Cuba."
 
A perspectiva de excedente global derrubou o açúcar em bruto em 24 por cento neste ano, transformando-o no item de pior desempenho do Bloomberg Commodity Index, composto por 22 matérias-primas. Devido aos preços atualmente mais baixos, algumas usinas da região Centro-Sul do Brasil, a principal região de cultivo do maior produtor mundial, consideram o etanol mais rentável e estão deixando de fabricar açúcar.
 
As usinas da região Centro-Sul vão destinar 47,6 por cento de toda a cana processada para a produção de açúcar, contra uma estimativa anterior de 48,3 por cento, afirma a Kingsman. Isso significa que a produção de açúcar totalizará 36,1 milhões de toneladas, cerca de 300.000 toneladas a menos do que o total estimado anteriormente.
 
Na temporada 2018-2019, que no Brasil tradicionalmente começa em abril, a quantidade de cana destinada à produção de açúcar cairá ainda mais, para 46,3 por cento, afirma a Kingsman. A seca atual também poderá reduzir em 2,9 por cento a quantidade de cana a ser processada, para 575 milhões de toneladas. Isso resultaria em uma produção de cerca de 34 milhões de toneladas de açúcar.
 
O furacão Irma afetou a produção cubana, que agora é projetada em 1,85 milhão de toneladas, 250.000 toneladas menos do que se pensava anteriormente, disse Covrig.
 
Outros destaques das estimativas da Kingsman:
 
- A produção de açúcar da Tailândia subirá 10 por cento em relação ao ano anterior, para 11,03 milhões de toneladas em 2017-2018;
 
- A produção da UE atualmente é projetada em 20,5 milhões de toneladas, 261.000 toneladas a mais que uma previsão anterior;
 
- A produção indiana subirá 27 por cento em relação ao ano passado, para 25,5 milhões de toneladas.

Fonte: Bloomberg (20.09)