Clipping

Leilão da usina Revati, da Renuka do Brasil, tem 3 inscritos, diz fonte

Um total de três empresas se inscreveram para o leilão da usina Revati, da Renuka do Brasil, em recuperação judicial, marcado para 4 de setembro, cujas inscrições terminaram na quinta-feira, disse à Reuters nesta sexta-feira uma fonte com conhecimento do assunto.

A Cofco do Brasil, Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA) e Interface Brasil Securitizadora foram os grupos que manifestaram à Justiça interesse em participar do leilão da Usina Revati, declarou a fonte, na condição de anonimato.

A primeira, da gigante chinesa Cofco e com quatro usinas do país, e a segunda, com duas unidades no Triângulo Mineiro, já haviam informado a intenção de participar do pregão na semana passada, conforme revelou a Reuters.

Já a Interface Brasil Securitizadora se manifestou na quinta-feira, último dia para os interessados submeterem seus documentos à Justiça.

Não foi possível contatar a Interface.

Se a venda for bem-sucedida, será o terceiro negócio deusinas de cana por meio de leilões judiciais em menos de um ano,conforme players com melhor estrutura de capital buscam ativosde rivais endividados. A Glencore comprou a usina Guararapes em novembrodo grupo Unialco. A Raízen Energia, uma joint venture entre aCosan e a Royal Dutch Shell, fez em junho aaquisição de duas usinas da Tonon Bioenergia, por 823 milhões dereais.

A venda da usina da Renuka, localizada em Brejo Alegre (SP)e com capacidade instalada para moer 4 milhões de toneladas decana-de-açúcar por safra, faz parte do processo de recuperaçãojudicial da empresa, aprovado em maio pelos credores.

Com dívida de aproximadamente 2,7 bilhões de reais, a Renukado Brasil está em recuperação judicial desde outubro de 2015. A Renuka do Brasil é subsidiária da indiana Shree RenukaSugars, que iniciou investimentos no país em 2010 efoi atingida juntamente com o restante do setor por baixospreços do açúcar e pelo controle de preços de combustíveis quevigorou em governos anteriores.

No ano passado, os credores chegaram a aprovar um plano queprevia a venda da outra usina da empresa, a Madhu, em Promissão(SP). A unidade foi a leilão em dezembro por 700 milhões dereais, mas não atraiu interessados.

Por José Roberto Gomes


Fonte: Reuters (11/08)