Clipping

Lucro da ADM cai 41% no 1º tri por enchentes; avalia cisão negócio de etanol

A companhia do agronegócio norte-americana Archer Daniels Midland (ADM) reportou uma queda de 41 por cento no lucro do primeiro trimestre nesta sexta-feira, na sequência de inundações e condições climáticas severas que atingiram o Meio-Oeste dos Estados Unidos no início deste ano.

A empresa, que comercializa, processa e transporta produtos agrícolas, como milho, soja e trigo, tem procurado fortalecer seus principais negócios e, no mês passado, disse que buscaria aposentadorias antecipadas voluntárias de alguns funcionários norte-americanos. Também cortaria empregos como parte do processo de reestruturação.

A ADM é o "A" do chamado quarteto de comerciantes de culturas globais "ABCD", que também inclui a Bunge, a Cargill e a Louis Dreyfus."O primeiro trimestre mostrou-se mais desafiador do que inicialmente esperado", disse o presidente-executivo da ADM, Juan Luciano.

A empresa espera reduzir seus gastos de capital em 2019 em 10 por cento, para entre 800 milhões e 900 milhões de dólares.O lucro líquido atribuível à empresa caiu para 233 milhões de dólares, ou 41 centavos por ação, nos três meses encerrados em 31 de março, de 393 milhões de dólares, ou 70 centavos por ação, um ano antes.A receita caiu para 15,30 bilhões de dólares, de 15,53 bilhões.

CISÃO NO ETANOL
Problemas contínuos no ambiente da indústria do etanol dos EUA se somaram às dificuldades da empresa e "margens e oportunidades limitadas" para a ADM, disse Luciano.A indústria do etanol tem estado em meio a uma desaceleração histórica devido ao atual conflito comercial com a China, excesso de oferta interna e margens fracas.A ADM, que tinha sido pioneira em etanol, indicou para o mercado em 2016 que estava procurando opções e considerando as vendas de suas usinas de etanol produzido a seco nos EUA.

Luciano disse à Reuters no início deste ano que as ofertas que a ADM recebeu pelas usinas eram muito baixas.Nesta sexta-feira, a empresa informou que estava criando uma subsidiária de etanol, que incluirá as usinas a seco da ADM em Columbus, Nebraska; Cedar Rapids, Iowa; e Peoria, Illinois.A subsidiária de etanol apresentará um relatório como um segmento independente, disse a empresa, e dará à ADM a capacidade de avançar com diferentes opções para esse negócio", o que pode incluir, mas não se limita, a uma potencial cisão do negócio para os atuais acionistas da ADM".

Além disso, a ADM disse que planeja reaproveitar sua usina de "milho úmido" em Marshall, Minnesota, para produzir maiores volumes de amido alimentar e industrial.

A ADM não seria a primeira grande trading a tentar se distanciar dos negócios de etanol em dificuldades. A Louis Dreyfus Company desmembrou seu negócio brasileiro de açúcar e etanol na Biosev em 2013.

 

 


Fonte: Reuters