Clipping

Lucro da Jalles Machado cresceu 173% no 2º trimestre da safra 2020/21

Postado em 9 de Dezembro de 2020

A Jalles Machado encerrou o segundo trimestre da safra 2020/21 com lucro líquido 173% maior do que no mesmo período da safra passada, de R$ 48,7 milhões. A companhia, que é a maior exportadora mundial de açúcar orgânico e formalizou recentemente seu pedido de IPO, fortaleceu sua aposta no adoçante e iniciou uma forte produção de álcool saneante diante da demanda criada pela pandemia de covid-19.

A receita bruta da companhia cresceu 15,5% no período, para R$ 580,8 milhões. A margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e Amortização (Ebitda) ajustada ficou em 68,4% no trimestre.

Nos seis primeiros meses da safra, a moagem de cana ficou estável, em 4,087 milhões de toneladas, e o rendimento caiu 3%, para 129,9 quilos de Açúcares totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana moída.

Para compensar a ligeira piora no desempenho operacional, a companhia intensificou sua aposta na exportação de açúcar orgânico, que respondeu por 35,5% da receita total do trimestre.

No negócio de saneantes, a companhia comercializou 1,6 milhão de caixas por R$ 38,20 a caixa, uma alta de 90% no volume e de 17,6% no valor.

A Jalles ainda recebeu no período o desembolso da segunda operação sindicalizada com o IFC, braço corporativo do Banco Mundial, o que reforçou sua posição de caixa no fim do trimestre. A companhia tinha no fim de setembro R$ 755,6 milhões em caixa e dívida líquida total de R$ 830,3 milhões. Com isso, a alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda) ficou em 1,2 vez.

Para a próxima safra, a Jalles Machado já tinha, no fim do último trimestre, 74% da exportação de açúcar hedgeada e 49% do produto da temporada seguinte (2022/23) também fixado.


Fonte: Valor Econômico