Clipping

Lucro líquido da Monsanto cresce 483% no 1º tri fiscal, para US$ 169 milhões

A norte-americana Monsanto reportou lucro líquido de US$ 169 milhões (US$ 0,38 por ação) no primeiro trimestre fiscal de 2018, encerrado em 30 de novembro. O resultado representa uma expressiva alta de 482,7% em relação aos US$ 29 milhões (US$ 0,07 por ação) registrados pela companhia em igual período do ano fiscal anterior.

A Monsanto atribuiu o crescimento a avanços nos preços e volume da soja Intacta RR2 Pro na América do Sul, melhora dos preços do glifosato e mais de US$ 85 milhões em ganhos com a venda de ativos. A negociação mais significativa foi a venda da unidade de componentes de agricultura de precisão Precision Planting para a fabricante de máquinas agrícolas AGCO.

O lucro ajustado por ação foi de US$ 0,41, superior ao obtido em igual intervalo do ano passado, de US$ 0,21, mas inferior ao consenso de analistas consultados pela FactSet, de US$ 0,42 por ação. A receita do trimestre ficou em US$ 2,66 bilhões, ligeiramente acima dos US$ 2,65 bilhões de um ano antes, porém abaixo das projeções do mercado, de US$ 2,77 bilhões.

A Monsanto espera avanço na receita para o ano fiscal de 2018, mas não forneceu o guidance devido à fusão com a Bayer, que ainda está pendente. A perspectiva até o momento é de melhora contínua dos preços do glifosato, além da adoção de novas tecnologias em sementes.

Com relação à recente reforma tributária nos Estados Unidos, a Monsanto espera uma redução da alíquota efetiva de impostos paga pela companhia. Isso deve começar a se refletir no início do ano fiscal 2019.

“Para o ano fiscal corrente, a empresa ainda está concluindo uma avaliação completa sobre a tributação; estimativas iniciais indicam que a alíquota efetiva não deve exceder 30% e tem potencial para ser consideravelmente menor”, destaca a companhia.


Fonte: Estadão Conteúdo