Clipping

Maior demanda e menor oferta poderão abrir espaço para aumentos adicionais dos preços do etanol

Postado em 8 de Outubro de 2020

O consumo do biocombustível tem se recuperado gradualmente. Com a continuidade do afrouxamento social o consumo tende a seguir crescendo nos próximos meses

De acordo com os especialistas em agro do Itaú BBA as cotações do etanol hidratado tiveram alta 1,7% em setembro, e se mantiveram acima de R$ 1.800/m3. O fluxo de compras do biocombustível pelas distribuidoras e a busca das usinas por preços melhores, o que desestimulou a disponibilidade total do produto ao mercado, ajudam a explicar essas elevações das cotações.

 Os fatores ajudaram a minimizar os impactos da queda do preço da gasolina na impostos pela Petrobrás em Setembro. Apesar da última correção positiva, os preços da gasolina fecharam o mês 8,7% menores do que os vistos em agosto na refinaria. Entretanto, com os patamares atuais de câmbio e petróleo, ainda há espaços para ajustes positivos de preços do combustível na refinaria, o que favoreceria o etanol. 

O consumo do biocombustível também tem se recuperado gradualmente. Segundo a ANP, foram comercializados 2,36 bilhões de litros de etanol no mês de Agosto,14,2 % a menos do que no mesmo mês do ano anterior. Contudo, essas diferenças mensais em relação ao ano anterior têm se reduzido ao longo dos meses após a pandemia, muito em função da flexibilização das quarentenas.

Outro destaque foi o aumento do consumo do hidratado frente ao mês de julho que cresceu 3,6%, enquanto a gasolina diminuiu 1,6% no mesmo período. Esse crescimento refletiu na participação do hidratado em 27,4% das vendas totais de combustíveis do Ciclo Otto.

Com a continuidade do afrouxamento social o consumo tende a seguir crescendo nos próximos meses. Isso somado à menor oferta do etanol, uma vez que nesta safra, mais cana está sendo direcionada para a produção de açúcar, poderá abrir espaço para aumentos adicionais dos preços do biocombustível.

 


Fonte: CanaOnline