Clipping

Maior demanda por combustíveis na América Latina ajuda refinarias dos EUA

Postado em 21 de Julho de 2020

O consumo de combustíveis na América Latina tem crescido, o que traz algum alívio para refinarias dos Estados Unidos que dependem da região para quase metade das exportações.

A demanda por combustíveis, especialmente o diesel, tem aumentado do Brasil à Argentina. A Petrobras (PETR3 PETR4) foi ao mercado para comprar oito cargas de derivados como gasolina e diesel no início deste mês, segundo pessoas a par do assunto que não quiseram ser identificadas. Um porta-voz da Petrobras não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

São boas notícias para refinarias americanas que enfrentam recuperação irregular da demanda doméstica. As refinarias dos EUA operam com 78% da capacidade, abaixo da média sazonal de 94% para esta época do ano.

Quando países latino-americanos começaram a implementar quarentenas em março, as exportações dos EUA para a região foram duramente atingidas, pois petroleiras estatais como a colombiana Ecopetrol e a Petroleos del Perú começaram a pedir o adiamento das importações ou mais prazo para os pagamentos.

No Brasil, maior importador de diesel da região, a demanda pelo combustível subiu para cerca de 90% dos níveis pré-pandemia, enquanto na Argentina essa parcela está em 94% e, na Colômbia, em 88%, segundo dados mais recentes dos governos compilados pela Bloomberg.

No México, as vendas de diesel ainda estão abaixo de 20% dos níveis pré-vírus, enquanto a demanda por gasolina é 30% menor, disse um representante da Onexpo Nacional, associação de distribuidores de combustíveis, que pediu para não der identificado devido às políticas internas.

Ainda assim, as taxas de frete de navios-tanque que transportam combustível da costa do Golfo dos EUA ao México triplicaram nas últimas três semanas com a maior demanda por importações, segundo dados compilados pela Bloomberg.

A recuperação ainda é desigual, e a Covid-19 continua a se propagar em ritmo alarmante na região. A recuperação da demanda por gasolina na América Latina ainda está aquém do diesel em meio à reabertura gradual das economias.

O combustível de aviação segue em baixa, já que aviões continuam aterrados e aéreas como Latam Airlines e Grupo Aeromexico entraram com pedido de recuperação judicial. O México é o principal destino das exportações de combustível de aviação dos EUA.

 


Fonte: Bloomberg