Clipping

Maior produção na Índia faz preços do açúcar recuarem em NY e Londres nesta 5ª feira

Postado em 11 de Fevereiro de 2021

As expectativas de uma maior produção na safra da Índia na temporada 2020/21 (outubro/setembro) fizeram com que os preços da commodity recuassem na Bolsa de Nova York e em Londres nesta quinta-feira (11), além de atenção ao financeiro.

O principal vencimento do açúcar em Nova York caiu 0,32% no dia, cotado a US$ 15,79 c/lb, com US$ 15,99 de máxima e mínima de US$ 15,73 c/lb. Em Londres, a sessão finalizou o dia com perda de 0,46%, a US$ 456,00 a tonelada.

Após altas recentes, o dia foi de perdas para os futuros do açúcar nas bolsas externas. A principal novidade no dia veio da Índia, que revisou os números de produção na safra 2020/21, para quase 30 milhões de toneladas.

"Hoje, a India Sugar Trade Association prevê que a produção de açúcar do país em 2020/21 aumentará 9% no comparativo anual para 29,9 milhões de t", disse em nota de mercado a consultoria Barchart. O país é o segundo maior produtor do mundo de açúcar.

Na última semana, a Indian Sugar Mills Association (ISMA) já havia relatado que a produção de açúcar da Índia de outubro a janeiro tinha saltado 25% de um ano para o outro, para um total de 17,68 milhões de t.

As expectativas de maior oferta no Brasil, em entressafra neste momento, também contribuíram para o cenário baixista da sessão. A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) reportou na véspera alta na produção em janeiro.

Além disso, o percentual de cana usado para açúcar subiu para 46,21% em 2020/21, ante 34,48% em 2019/20.

No financeiro, o dia foi marcado por movimento corretivo nas cotações do petróleo WTI e Brent, após altas seguidas nos últimos dias e preços próximos de US$ 60 o barril. Além disso, o real registrou desvalorização ante o dólar.

Mercado interno

O Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, fechou com queda de 0,11%, a R$ 105,77 a saca de 50 kg na quarta-feira (10).

Por Jhonatas Simião

 


Fonte: Notícias Agrícolas