Clipping

Maior quantidade de chuva facilita realizar a adubação bem-feita

Nutrição adequada se destaca no crescimento e na obtenção de elevadas produtividades
 
O outono na região Centro-Sul do Brasil tem sido bem generoso em relação às chuvas. No estado de São Paulo, o mês de maio acumulou até o dia 22, 143,3mm, superando em quase três vezes a média histórica para o mês (55,5mm) e tornando-se até agora o segundo mês de maio mais chuvoso em 23 anos, atrás apenas de maio de 2005, que acumulou 151,8mm.
 
Em algumas regiões do estado, as chuvas chegaram a emendar quatro dias consecutivos, o que parou a moagem de muitas usinas. “A incidência de chuvas desde o início da safra 2017/18 na região Centro-Sul já resultou em 10 dias sem moagem. O volume de chuvas em maio bateu o recorde histórico e a perspectiva é que teremos um inverno mais chuvoso, o que pode atrapalhar ainda mais a moagem”, informa o Plínio Nastari, presidente da Datagro Consultoria.
 
Mas se a chuva atrapalha a indústria, ajuda a parte agrícola, pois, a maior quantidade de água salvou a socaria das áreas de cana que já foram cortadas até o momento, além de reforçar os canaviais. “A cana está bonita, pesada e essas chuvas contribuem para que não perca o vigor, tanto que já revisamos para mais a disponibilidade de cana para a região Centro-Sul, de 612 milhões de toneladas para 618 milhões, mas nossa previsão de moagem é de 605 milhões, em decorrência das paradas por causa das chuvas”, diz Nastari.
 
O cenário de chuvas no mês de maio, com possibilidade de precipitação em junho, oferece mais uma vantagem: solo úmido em uma época do ano em que, normalmente isso não ocorre, o que possibilita a realização de uma adubação bem-feita, não só com o uso de nutrientes corretos, mas de implementos que coloquem a quantidade certa, na profundidade que a cana necessita.
 
Segundo André Cesar Vitti, pesquisador científico do Polo Regional Centro Sul/APTA, entre os aspectos responsáveis pelo desenvolvimento vegetativo da cana-de-açúcar, essa nutrição adequada se destaca no crescimento e na obtenção de elevadas produtividades. Isto se deve às múltiplas funções metabólicas e estruturais que os nutrientes exercem nos vegetais superiores, com efeito no perfilhamento, crescimento de colmos, entre outros fatores como a concentração de açúcares durante o ciclo fenológico da cultura.
 
Auro Pardinho, gerente de marketing da DMB Máquinas & Implementos Agrícolas, de Sertãozinho, SP, observa que, no inverno o desenvolvimento da cana é menor, mas, este ano, com essa maior quantidade de chuvas o solo permanecerá úmido por mais tempo, uma grande oportunidade para o setor realizar a adubação adequada nas áreas em que a cana já foi colhida, promovendo maior enraizamento, brotação e formação de perfilhos, incrementando o crescimento da cana.
 
Para a realização dessa adubação adequada, Pardinho aconselha o uso do Adubador de Discos, implemento destinado à realizar a adubação das soqueiras da cana-de-açúcar, depositando o adubo nos dois lados da linha da cana numa profundidade de 8 a 12 cm, onde se concentra a maior porcentagem de renovação do sistema radicular da cultura. “De acordo com estudo feito pela Unesp de Jaboticabal, para a cultura canavieira é essencial dar preferência para a incorporação profunda da adubação, pois garante maior produtividade agrícola ao canavial, possibilitando o máximo aprofundamento do sistema radicular”, explica o Gerente de Marketing da DMB


Fonte: CanaOnline