Clipping

Mais de 40% do preço do etanol é de impostos e margem de distribuidores e postos

Postado em 5 de Agosto de 2020

O Relatório da Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME) trazendo o preço médio semanal dos combustíveis no Brasil, na semana de 26 de julho a 1º de agosto, mostra que o brasileiro pagou, em média, R$ 2,74 pelo litro de etanol na última semana. Ainda segundo o relatório, o etanol custou, na média, 65,23% do preço pago pelo litro da gasolina, seu principal concorrente nos postos.

O que chama a atenção no levantamento é que da composição final do preço do etanol, temos que 40,9% do valor cobrado pelo litro do biocombustível refere-se a tributos ou margem de postos/distribuidores.

Segundo o levantamento, os tributos federais corresponderam a 8,8% do preço final, enquanto os tributos estaduais representaram 12%. A margem dos postos ficou em 13,9% e outros 6,2% para a margem das distribuidoras. O valor do litro do etanol pelo produtor, sem tributos ou margens, foi de R$ 1,62, ou seja, 59,1% do total.

Para a Gasolina C os tributos e margens chegam a até 57,3% do preço final do combustível, sendo 10,3% como margem dos postos, 3,2% para a margem das distribuidoras, 27,5% de tributos estaduais e 16,3% para tributos federais. A gasolina C foi vendida em média no Brasil, na última semana, a R$ 4,20 o litro.

O relatório também traz as médias de preços e indicadores para o Diesel S-500, o Diesel S-10 e o GLP (gás liquefeito de petróleo).

 


Fonte: Agência UDOP de Notícias