Clipping

Meiosi turbina os canaviais, mas é preciso que seja bem-feita

Postado em 1 de Outubro de 2020

O uso de muda pré-brotada (MPB) de cana e a canteirização contribuem para o sucesso do sistema

A Meiosi (Método Inter-Rotacional Ocorrendo Simultaneamente) cada vez mais marca presença nos canaviais, principalmente por reduzir significativamente o custo com transporte de mudas. “O produtor aproveita mais a terra, enquanto está formando a muda para um novo canavial, tendo a possibilidade de explorar uma lavoura de ciclo curto e/ou ainda melhorar o solo”, diz Armene Conde, engenheiro agrônomo e consultor em operações agrícolas.

Uma das dicas do especialista para que os resultados esperados sejam alcançados com a Meiosi é selecionar bem as áreas para a implantação deste sistema. “A unidade deve selecionar muito bem as áreas para ter sucesso com esta prática. Definir qual a cultura intercalar e se o plantio de cana destas ruas, após a colheita ou incorporação, será mecanizado ou manual”, explica, indicando que um cronograma deve ser montado para atender todas as etapas do processo. Segundo Conde, a área com Meiosi (“ruas mães” convencionais) pode atingir de 25 a 50% da área total de plantio, dependendo da estrutura de plantio da unidade, e o tempo normal para plantio da área comercial será em torno de 30 a 60 dias (entre os meses de fevereiro a abril), devido à espera necessária para o desenvolvimento das mudas.

“A utilização de Mudas Pré-Brotadas (MPB) neste processo é bastante viável para multiplicar o material de forma rápida e racional, ou para a introdução de materiais novos isentos de doenças, mas deve-se levar em consideração que o pegamento das mudas dependerá de irrigação com caminhões ou carretas”, afirma, lembrando que, enquanto, pelo método convencional, para cada hectare se plantam quatro hectares, com MPB na Meiosi consegue-se aumentar um hectare para 10 hectares. “Há unidades que fazem mais”, avisa, comentando que a muda de MBP custa entre R$0,60 e 1,00 (comprada ou produzida dentro da própria Unidade) e são necessárias em torno de 9.500 mudas por hectare.

Uma das ferramentas também utilizadas para o sucesso da Meiosi é a canteirização: um sistema muito racional de preparo de solo, utilizado também para áreas convencionais. Com a ação, a colocação das mudas é feita onde o solo foi preparado e o tráfego é direcionado em uma faixaonde o solo não foi preparado, portanto, ficou compactado, favorecendo, assim, o deslocamento das máquinas. “O sistema também pode ser usado com barreira química: neste caso, o canteirizador é um equipamento que coloca o inseticida a uma profundidade de 60 cm, com eficiência abaixo do maior volume de raiz da cana, protegendo-o contra o ataque da praga”, conclui.

 


Fonte: CanaOnline