Clipping

Mercados de biocombustíveis do Brasil caíram

Postado em 22 de Abril de 2020

Artigo do Rabobank avalia situações e possíveis soluções

No início de 2020, as perspectivas eram promissoras para os biocombustíveis brasileiros. No ano anterior, as vendas de etanol atingiram um novo nível recorde e os preços pareciam bons. Enquanto isso, no início de março, a mistura obrigatória de biodiesel no diesel deveria subir de 11% para 12%. No entanto, no espaço de algumas semanas, tudo mudou.

Como o Brasil age para minimizar a disseminação do coronavírus, um forte declínio no uso de combustível prejudicou as vendas de etanol e biodiesel. Como é o caminho a seguir para os participantes nesses mercados?

Uma queda na bomba

Os preços mundiais de petróleo e gasolina já estavam enfraquecendo em fevereiro, com o mercado contemplando uma demanda reduzida decorrente da crise do coronavírus. No entanto, eles realmente caíram no início de março após os anúncios de choque de que a Rússia havia abandonado seu contrato de fornecimento de petróleo com a OPEP e de que a Arábia Saudita abriria suas torneiras, inundando o mercado.

Isso, por si só, foi uma má notícia para o setor de etanol no Brasil. Aproximadamente dois terços do consumo de etanol são via vendas diretas na bomba de etanol puro para uso em carros flex, que representam quase 80% da frota de carros. Nesta parte do mercado, o etanol está competindo na bomba com gasolina. Seu preço é, portanto, influenciado pelos preços locais da gasolina, que por sua vez dependem dos preços internacionais e da taxa de câmbio. Assim, com esses desenvolvimentos, as perspectivas para os preços do etanol caíram, o que rapidamente se tornou uma má notícia para o mercado mundial de açúcar. As perspectivas decrescentes de etanol indicaram que as usinas brasileiras favoreceriam o açúcar em relação à produção de etanol em 2020. Os preços mundiais do açúcar caíram.

No início de abril, as medidas adotadas pelas autoridades e empresas brasileiras para aumentar o distanciamento social resultaram em um enorme declínio no uso de combustível. No início de abril, o tráfego nas principais cidades brasileiras havia caído entre 50% e 80%.

Isso afetou particularmente o setor de etanol de cana. A estação de moagem no Centro / Sul do Brasil (onde mais de 90% do etanol é produzido) começa em abril. Assim, a demanda desapareceu da noite para o dia, exatamente quando a produção estava aumentando. Os preços no início de abril caíram 40% em relação ao mês anterior e agora estão nos níveis mais baixos desde meados de 2017, indicando uma margem muito pequena para todos, exceto os operadores mais eficientes. A esses preços, o setor de etanol de milho, em rápida expansão, no Brasil também está sob pressão.

A estrada adiante

No curto prazo, as usinas de cana têm algumas opções. Primeiro, contanto que tenham ampla liquidez, eles podem optar por simplesmente armazenar o etanol que produzem, esperando que o pior da crise passe antes que a capacidade do tanque se esgote. Algumas empresas têm capacidade suficiente para durar até agosto sem fazer uma venda.

Uma segunda e complementar estratégia será maximizar a proporção de cana moída para produzir açúcar, que continua a oferecer margens melhores que o etanol.

Enquanto isso, alguns participantes do etanol de milho optaram por reduzir a produção de etanol e aproveitar os altos preços locais atualmente, vendendo estoques de milho comprados originalmente meses atrás.

Em relação às medidas do governo para aliviar o estresse, há três opções principais em discussão:

1. Suspensão temporária do imposto federal PIS / Cofins pago pelas usinas na produção de etanol

2. Aumento da taxa federal da CIDE sobre a gasolina para aumentar a competitividade do etanol na bomba

3. Um programa de financiamento de ações de etanol

Devido à incerteza em torno da demanda de diesel nos próximos meses, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) - que organiza leilões para garantir o cumprimento da mistura obrigatória de 12% de biodiesel no diesel - anunciou que os compradores (distribuidores de combustível) será obrigado a retirar 80% do volume liquidado, em vez dos 95% padrão no próximo leilão de abril, referente às entregas de maio e junho.

A possibilidade de menor demanda de biodiesel tem implicações no consumo local de soja, pois o óleo de soja representa 70% da matéria-prima usada para produzir biodiesel. Assim, enquanto os altos preços locais da soja significam que os agricultores estão muito dispostos a vender, os trituradores de soja estão desacelerando ou suspendendo novas compras de soja.

Por Eliza Maliszewski


Fonte: Agrolink